Vacina contra gripe já está disponível à toda população de Botucatu


Na cidade só 65% da população de risco foi imunizada. Seguindo determinação do Ministério da Saúde, o Botucatu abriu campanha a todo mundo, mesmo que não esteja em área de risco

 

 

Reprodução000

Desde segunda-feira (05), o Ministério da Saúde autorizou que as doses de vacina contra a gripe fossem distribuídas para toda a população e não só as pessoas que estão dentro do grupo de risco. A determinação foi dada já que a maioria dos estados brasileiros não conseguiu atingir a média.

Após a decisão, os estados Acre, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina, Sergipe, Maranhão e Rodônia, além do Distrito Federal adotaram a medida. O estado de São Paulo não aderiu a distribuição das vacinas a toda a população, mas alguns municípios decidiram abrir a campanha, como é o caso de Botucatu.

Na cidade, apenas 65% da população de risco tomou a vacina, segundo levantamento da Secretaria Municipal de Saúde. As crianças foram as que menos aderiram à campanha: 42,91% foram imunizadas até 1º de junho.

Quem estiver interesse em tomar a vacina deve procurar uma unidade de saúde até a próxima sexta-feira (09). As vacinas serão aplicadas até os estoques acabarem e não haverá reposição de vacina.

A vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial da Saúde (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

 

Vacinação em Botucatu

A campanha de vacinação foi destinada a sete grupos considerados de risco: crianças de seis meses a 5 anos; gestantes; puéperas (mulheres que tiveram bebê há 45 dias); trabalhadores da saúde; idosos; indígenas e professores. Segundo dados da Secretaria da Saúde de Botucatu, as crianças foram as menos imunizadas na campanha deste ano, apenas 42,91% aderiu à campanha.  Já os idosos foram os que mais procuraram pela vacina: 73,95%.

Veja também: