Secretaria Nacional de Habitação sinaliza possível liberação de unidades na região da Vicinal Alcides Soares

Cleber Novelli/Assessoria de imprensa

“Viemos para pedir 500 casas, mas o programa só permite 30% do déficit do município, o próprio ministério tem esses dados e isso significa 232 unidades”, explica o deputado estadual Fernando Cury (PPS), sobre a reunião na tarde de hoje (18), da comitiva formada, além dele, pelo prefeito Mário Pardini (PSDB), secretário de Infraestrutura e vice-prefeito André Peres (PCdoB), secretário municipal de Habitação José Carlos Broto e presidente da Câmara Municipal, vereador Izaias Colino (PSDB), com a secretária nacional de Habitação, Maria Henriqueta Abrantes. A secretaria é ligada ao Ministério das Cidades.

O prefeito se mostrou otimista com a sinalização da secretária de que as unidades podem ser liberadas, embora ainda sejam necessários outros trâmites para poder comemorar.

“Saímos da secretaria nacional da Habitação, com a Henriqueta, secretária nacional e trouxemos pacote completo, tudo que o ministério precisa. Para aprovar tivemos o cuidado de fazer tudo que é cobrado, área em nome da prefeitura, lei autorizativa, e contamos com a compreensão de todos os vereadores, que aprovaram por unanimidade projeto permitindo doação dessa área para construção de habitação popular Faixa I, do Minha Casa Minha Vida, para pessoas com renda até R$ 1.800,00 ao mês, as pessoas que realmente precisam, então trouxemos área, lei autorizativa, isenção de ISS, ITBI, e dois projetos de empreendimento, com unidades verticais, sendo térreo e mais dois andares ou casas e apresentamos”, revela Pardini.

“Mostramos que a área tem água, esgoto, creche e posto de saúde naquela região, enfim, toda infraestrutura e isso tudo fez com que a secretária se apaixonasse pelo empreendimento e pré-habilitou o mesmo, dando autorização para prosseguimento do processo, dando entrada na Caixa Econômica Federal”.

A comitiva botucatuense ficará em Brasília até quinta-feira (20) cumprindo uma extensa agenda em buscar de recursos para a cidade. O deputado disse que sua presença tem como objetivo auxiliar o grupo, mas principalmente na questão das casas populares. “Chegamos juntos para cumprir essa primeira agenda e vamos ficar juntos, trabalhando nessas reuniões”.

O parlamentar fez questão de elogiar a equipe de Pardini, que sabendo da previsão de liberação de casas da Faixa I do programa Minha Casa Minha Vida, se antecipou em relação a outras cidades do país, fazendo todo o projeto e levando até Brasília.

“Queria adiantar que o Pardini e a equipe da Prefeitura estão de parabéns, por tudo que trouxeram, a secretária ficou encantada e disse que é muito difícil ver algo da forma como foi apresentado, com toda documentação, e pela aprovação da Câmara também, para liberação da área, vindo para somar nas reuniões”, declara Fernando Cury.

Na entrevista ao Diário, o parlamentar lembrou que o Ministério das Cidades, através da secretaria da Habitação, subsidia até R$84 mil para cada unidade habitacional e se o valor for maior, acionará o Governo do Estado, através do programa Casas Paulista, que consegue subsidiar mais R$ 20 mil, além dos R$ 84 do Governo Federal, caso necessário. “Se precisar vou fazer gestão junto ao Governo do Estado para esse aporte, vamos fazer o que for necessário para o município ser contemplado, para essas casas serem viabilizadas”.

Izaias Colino resumiu afirmando que a cidade está a um passo de comemorar as 232 unidades. “Parabenizo o prefeito pelo ótimo projeto apresentado, que nos coloca em boa posição para receber 232 moradias populares. Agora falta o último aval da Caixa Federal e o do ministério, e vamos trabalhar muito para conquistar essas casas para Botucatu. Como presidente da Câmara Municipal de Botucatu, me sinto honrado em representar todos os vereadores, que tiveram participação muito importante no projeto”.

Cleber Novelli/Assessoria de imprensa
A comitiva botucatuense foi elogiada pela secretária Maria Henriqueta Abrantes

Veja também: