Se o dinheiro do Lula não pode, o seu e o meu também não podem

Redação Diário | Diário Botucatu

Quando Justiça condena um cidadão comum a pagar o que deve, depois que ele perde um processo qualquer, fica em dívida com o Estado depois de demonstrar que não tem condições financeiras de pagar, a lei parte pra cima dele, com todas as rubricas necessárias.

Isso acontece no IPTU de qualquer família que tenha uma casa própria, com o ISS, com o ICMS, com o PIS, com a COFINS, com o IR, com o FGTS, com o INSS, e com todas aquelas siglas estranhas que servem para arrancar dinheiro de quem empreende em qualquer setor de atividade.

O Estado vai buscar o que lhe devem sem dó nem piedade, quando se trata de qualquer CPF e qualquer CNPJ de qualquer brasileiro comum. De repente a gente tem que ouvir que bloquear dinheiro do Lula é injusto. É desrespeito. É perseguição. É sacanagem.

Lula foi condenado por corrupção? “Foi”. A Justiça considerou que ele recebeu vantagem indevida? “Sim”. É justo que devolva aos cofres públicos? “É”. O Estado deve tratá-lo como trata qualquer um de nós quando fica devendo pra ele? “Claro”. Ele deve ter algum direito que possa ser negado a qualquer outro condenado nas mesmas circunstâncias? “Não”.

Veja também: