Rose Ielo: “Até rescisão [dos contratos de ônibus], fiscalização tem que acontecer”

Líder da bancada do PDT disse que ficou muito surpresa com a votação do Requerimento de Trigo

Sidney Trovão
Rose Ielo: “Fiquei muito surpresa com a votação de ontem sobre o Requerimento do Trigo”

Líder da bancada do PDT, Rose Ielo foi procurada para comentar o assunto e se mostrou indignada. “Fiquei muito surpresa com a votação sobre o Requerimento do Trigo que pedia providências ao MP [Ministério Público] no que lhe caberia quanto aos direitos dos portadores de deficiência, no caso, o problema no uso do transporte coletivo devido à falta de manutenção das plataformas elevatórias, situações onde os cadeirantes acabam ficando nos pontos de ônibus sem transporte, sem dizer o constrangimento”.

Ainda de acordo com a vereadora, “principalmente a defesa apresentada para rejeitar o pedido de fiscalização do Trigo ao MP, dizendo a base do governo que os problemas estariam sendo resolvidos no processo judicial de rescisão de contrato, ou seja; misturam e tentaram confundir a questão da fiscalização dos direitos do usuário portador de deficiência, que era o pedido do Trigo, com o processo de rescisão de contrato com a empresa de ônibus, e que não se tem notícias do andamento”.

A líder da bancada pedetista afirma que “até acontecer a rescisão de contrato cujo tempo não sabemos, a fiscalização tem que acontecer para garantir transporte ao portador de deficiência, mas infelizmente os sete vereadores da base não quiseram”.

Leia mais: 

Veja também: