PT confirma Everaldo Rocha na presidência do diretório municipal

Dos 219 filiados aptos a exercer o direito do voto, compareceram apenas 37 e todos votaram de forma unânime no candidato único, sem votos nulos ou brancos

JOÃO FERNANDO/DEBOTUCA.COM
A eleição teve comparecimento de 37 filiados e debate sobre momento político

Encabeçando chapa única, Everaldo Rocha foi reeleito para a presidência do PT de Botucatu no domingo (9), no salão de eventos da Escola Noia, entre 9h e 17h.  O mandato é de dois anos. Dos 219 filiados aptos a exercer o direito do voto, compareceram apenas 37 e todos votaram de forma unânime no candidato único, sem votos nulos ou brancos.

Além da votação, os petistas realizaram uma roda de conversa para debater a pauta do Congresso Nacional, cenário internacional, cenário nacional, balanço dos governos Lula e Dilma, estratégia política e funcionamento do PT e organização partidária. Foi exibido um vídeo com a filósofa e professora universitária Marilena Chauí, abordando o tema “Uma Reflexão Necessária”, sobre a conjuntura política no Brasil.

Segundo Rocha, “o grande desafio do novo diretório é a reestruturação do partido”. Sobre a votação, ele esperava um comparecimento maior de filiados, tendo falado antes da eleição em cerca de 100 pessoas presentes, mas já havia comentado que os problemas enfrentados pelo partido e o fato de não haver chapa de oposição contribuíram para a pouca participação.

O presidente reeleito fez uma análise dos pontos positivos, com os avanços e das dificuldades encontradas. “São vários desafios para os próximos dois anos, primeiro foi uma honra ficar quatro anos na presidência do PT e vai ser uma honra ficar mais dois anos. Nesses quatro anos, com todos os problemas que nós tivemos a nível nacional, municipal com as desfiliações das principais lideranças, membros da executiva deixando o partido, não consegui colocar em prática nossa proposta de 2013. Consegui em partes, tivemos avanços, surgiram filiações ideológicas e não por ocasião e isso foi um lado positivo, mas faltou, na estrutura partidária, as secretarias que planejamos, de juventude, mulher, finanças, esperávamos mais, que conseguíssemos nos organizar mais e isso ficou capenga nesses quatro anos”.

Sobre as eleições de 2018, Everaldo Rocha disse esperar eleições completas caso “não haja outro golpe”, em referência ao processo enfrentado por Dilma Rousseff. Lembrou que o PT tem tradição de lançar candidato a deputado em Botucatu, mas que o assunto ainda não começou a ser discutido, embora tenha citado nomes considerados em evidência por ele, como do jornalista Érick Facioli e da médica Cátia Fonseca. “Não falamos isso com eles, mas são nomes em evidência. Essa conversa não pode demorar muito e o novo diretório terá como meta também essa pauta”.

Veja também: