Pardini afirma que se precisar montará gabinete no PS

O candidato defende a implantação de um modelo parecido com o Poupatempo para a saúde

Mário Pardini é candidato a prefeito pelo PSDBSidney Trovão
Mário Pardini é candidato a prefeito pelo PSDB

Mário Pardini é o candidato a prefeito pelo PSDB de Botucatu e o Diário traz o seu perfil, com um pouco de sua história de vida e trajetória profissional. Funcionário da Sabesp, onde começou sua carreira como leiturista e chegou a superintendente, ele falou de algumas metas caso seja eleito.

Sua primeira iniciativa, se fosse prefeito hoje, garante, seria na área da saúde. “Sempre é um ponto muito frágil. A pessoa com dor não quer esperar. A pessoa que vê um filho com problema quer ser atendido. É onde eu primeiro colocaria a mão. E minha forma de colocar a mão é muito prática, é estar no local, acompanhar o serviço. Temos que trazer o conceito de Poupatempo, na forma de acolhimento, humanização, resolutividade, determinando prazos de atendimento, acoplar uma laboratório municipal no PS para exames clínicos, ampliar o número de médicos, construir novos postos de saúde. Ampliar também o horários dos postos de saúde. Tem que melhorar a gestão e isso significa acompanhar in loco, e se isso significar mudar o gabinete do prefeito e do secretário da saúde para dentro do PS, vamos fazer.  Fiz isso em Várzea Paulista, tinha duas estações de tratamento, a ETA Palmeiras e a ETA Felicidade. Na ETA Palmeiras tinha problemas de operação e faltava água na cidade. Não pensei duas vezes. Estava em um belo prédio no centro, com ar-condicionado, mas mudei a gerência para lá, na estação, e acabou o problema”.

Pardini declarou que a saúde em 2008, “no governo anterior, era falida, prestes a fechar o Hospital Sorocabano e que pessoas iam daqui até Laranjal Paulista fazer ultrassom”. Ele enumerou como conquistas do atual prefeito como o pronto socorro adulto e o infantil, os dois novos hospitais, SAMU, Clínica do Bebê, UPA, AME, dentre outras realizações e afirmou que ainda muita coisa pode ser feita.

Segundo Pardini os piscinões propostos pelo prefeito João Cury (PSDB) para conter águas das chuvas são soluções usadas no mundo todo para drenagem urbana, consideradas por ele como adequadas, mas também citou melhorias nos canais dos rios para melhorar a velocidade de escoamento. Ele quer também usar os entornos para equipamentos de lazer e atividades físicas.

Para o turismo, por exemplo, Pardini entende que essa é uma forma de gerar emprego e renda que precisa ter ações aproveitando melhor a Cuesta e a linha férrea, por exemplo, para passeios turísticos, passando por Anhumas, César Neto, transformando esses lugares em centros onde as pessoas sejam recebidas com opções de almoço e atrativos musicais, além de passeios rurais, gerando emprego e renda. A cultura, diz ele, também poderá atrair turistas com a Pinacoteca. No Lavapés, o candidato tucano propõe construir em toda orla um parque linear.

Estudos

Pardini é formado em administração pela Faculdade Paulista de Administração e Ciência Contábeis de Hortolândia e possui pós-graduação em administração e marketing pela Universidade São Francisco. Em 2011, terminou sua segunda graduação, em engenharia civil, pelo Centro Universitário Padre Anchieta.  Em 2012 iniciou o curso de mestrado na Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp – Câmpus de Botucatu -, área de Irrigação e Drenagem.

Em Botucatu

Após 14 anos na Companhia, em setembro de 2011 Pardini passou a comandar a Superintendência da Unidade de Negócio Médio Tietê, cargo que ocupou até o dia 1º de junho de 2016, quando se afastou em respeito à legislação para se dedicar à sua pré-candidatura a prefeito de Botucatu.