“O resultado nas urnas foi fruto de dedicação e muito trabalho”, afirma Pardini

Após duas semanas das eleições, o futuro prefeito de Botucatu conversou com o Diário para contar como foi essa trajetória e o que espera para cidade nos próximos anos

Pardini: "Se trabalhar no meu limite, sei que vou fazer um bom governo"Sidney Trovão
Pardini: “Se trabalhar no meu limite, sei que vou fazer um bom governo”

Há 15 dias Botucatu conhece quem irá governar a cidade pelos próximos quatro anos: Mário Pardini. Após o período eleitoral, o futuro prefeito retornou a Sabesp, empresa que já foi superintendente. Antes de assumir a direção do município de Botucatu, Pardini ainda tem muito trabalho na empresa de abastecimento e saneamento.

“A volta para a Sabesp foi tranquila, os funcionários da Sabesp sempre foram amorosos comigo, me abraçaram, me receberam muito bem. Já tem alguns projetos que meu diretor passou, algumas missões no estado que ele quer que eu acompanhe de perto, algumas até fogem da minha unidade de negócio e vou trabalhar até 31 de dezembro”, conta.

Entre uma entrevista e outra, uma reunião e outra, Pardini vai organizando sua vida novamente. Durante o período de campanha viveu uma imersão, que o fez se afastar até mesmo do convívio familiar.

“Eu trabalhei muito, abdiquei de tudo nesse período de campanha, do convívio com a minha filha Bruna, que é algo que eu prezo muito, do meu joguinho de futebol, do convívio com a minha família e me entreguei, como tudo o que eu fiz até hoje, a essa campanha”, afirma.

O resultado de tamanha dedicação foram os 39.045 votos recebidos no dia 2 de outubro. “No dia da eleição as pessoas me perguntaram se eu estava nervoso, ansioso, mas eu respondia que meu nervoso acabou no último debate. Eu falava para todo mundo que eu estava tranquilo, eu fiz o meu melhor. A gente só não fica tranquilo quando não faz o nosso melhor, fui no limite físico, psicológico, mental, capacidade intelectual, só não fiz mais porque eu não conseguiria. Logo depois da divulgação do resultado oficial, me perguntaram se eu esperava um resultado tão elástico e eu falei que com todo o respeito eu esperava um bom resultado sim. Porque foi fruto do que eu plantei, de toda essa dedicação, do respeito que eu tive com a população”, salienta Pardini.

“Só tenho a agradecer a Deus pela saúde, força, paciência. A minha filha Bruna, que se mostrou combativa, mesmo com 16 anos. Uma menina íntegra, com posições consistentes e uma filha muito amorosa”

Mas, a gestão e a administração de Botucatu vão exigir ainda mais do futuro prefeito. As cobranças e comparações serão inevitáveis. “A Sabesp já me exigia demais, eu tomava conta de 35 municípios, cerca de 1 milhão de pessoas, uma região muito grande. Manutenções importantes eu gostava de acompanhar de perto. A equipe do Diário me acompanhou na crise hídrica e vocês sabem que eu trabalhei praticamente 24 horas para garantir o abastecimento da população. Eu sei que a prefeitura vai me exigir muito e muito mais, porque eu vou me cobrar. Mas estou preparado, eu resolvi doar essa etapa da minha vida para a população de Botucatu. Quero fazer isso, como eu fiz na campanha, como eu fiz na Sabesp, que é entregando o meu máximo. Eu quero sair da prefeitura sabendo que eu fui no meu limite. Se eu for no meu limite eu sei que vou fazer um bom governo”, afirma.

Dificuldades

O início da campanha foi um período difícil para Mário Pardini. Ele conta que as pessoas esperavam um candidato igual ao atual prefeito João Cury. “No começo foi muito difícil, todos sabem que eu nunca fui político, eu sentia que as pessoas esperavam alguém muito parecido com o João, do ponto de vista de relacionamento, de sorriso mais fácil. Eu sou um italianão mais durão, cintura mais travada, eu fui me acostumando com a campanha, fui ganhando corpo, experiência, estudei muito a cidade, sei muito bem o que eu quero para Botucatu, na verdade eu sei bem o que a população deseja”, afirma.

O que o cidadão Mário Pardini enxergava em Botucatu?

“Fui morar em outra cidade em 1997, foi quando deixei Botucatu. Mas sempre vinha aos finais de semana para cá, hoje enxergo uma cidade bem diferente daquela de 1997. Hoje vejo uma cidade que evoluiu muito em indicadores, como índice de mortalidade infantil, que reflete o quanto foi investido na saúde. Uma cidade mais alegre, com mais oportunidades, mais limpa, melhor administrada”, afirma.

Porém ainda há muito o que se fazer. Principalmente na área da saúde e do transporte público, salienta Pardini. “Recebi muitas críticas especialmente em relação a saúde e o transporte público. É fato que esses são dois pontos a serem melhorados. A saúde não por falta de investimento, nos últimos anos foram entregues equipamentos importantes a população, nossa cidade evoluiu muito, mas precisa continuar evoluindo, nossa população precisa ser melhor atendida”, destaca.

Melhorar a gestão, para melhorar o atendimento

Para Pardini a saída para oferecer um atendimento de melhor qualidade à população é investir em gestão. “Eu quero investir em gestão, atender melhor, em menor tempo, melhorar os índices de resolutividade, trabalhar indicadores de satisfação nos equipamentos públicos de saúde. Quero trabalhar a humanização na saúde e serei um parceiro muito próximo do secretário de saúde, trazendo o meu conhecimento de gestão”, afirma.

Ampliar o horário de atendimento dos postos de saúde também está na lista de prioridades do novo prefeito. “Uma coisa que a gente quer fazer na saúde do município é ampliar o horário de atendimento dos postos de saúde, isso deve se concretizar no primeiro ano de governo. Essa é uma forma de evitar a superlotação no Pronto-Socorro, por exemplo, pois o trabalhador volta para a casa e tem onde recorrer a um atendimento médico próximo da sua casa, até porque muitas vezes não é um problema de urgência e emergência, que necessite ir ao PS, são coisas que podem ser tratadas no posto de saúde”, salienta.

Botucatu em 2020

Em 2020, uma nova eleição será realizada, daqui até lá quatro anos vão se passar. Mas, os frutos que plantarmos hoje serão colhidos no futuro. O desejo de Mário Pardini é que Botucatu possa se tornar nestes quatro anos uma cidade mais fraterna, que oferece a sua população serviços públicos de qualidade.

“Eu gostaria muito que Botucatu em 2020 fosse uma cidade mais justa, uma cidade que gera oportunidade para seu povo e uma cidade mais fraterna, em que a população reconhece que os serviços públicos são prestados com a máxima qualidade possível, respeitando os aspectos econômicos e técnicos. Essa é a cidade que eu gostaria de entregar em 2020”, finaliza.

Veja também: