Lula e as decisões de Curitiba

Acusado pela Força Tarefa da Lava Jato de ser o comandante mais graúdo do esquema que desviou bilhões em recursos da Petrobrás, o ex-presidente teve sua primeira condenação à prisão. Vai poder recorrer em liberdade, mas deve ser julgado em outros processos antes da decisão em segunda instância.

Redação Diário | Diário Botucatu
Pedro Manhães
Editor DBPRESS

Ele foi o líder sindical mais expressivo e respeitado do país nos anos 70, ajudou a fundar um partido político com a ambição de representar na política os interesses da classe trabalhadora na década seguinte. E, depois de posicionar seu nome como candidato a governador de SP pelo PT, em 1.982, se elegeu deputado federal constituinte com um recorde de votos em 1.986. Mas ao final dos trabalhos, fez parte do grupo de parlamentares que não assinou a constituição, rejeitando a pluralidade que garantia sua legitimidade política.

Nos últimos 30 anos, desde 1.989, Lula só foi candidato a uma coisa na vida: Presidente da República. Era o nome natural do Partido dos Trabalhadores em todas as eleições, até chegar ao poder, em 2002 e governar o país por dois mandatos, até 2010, quando atropelou outros nomes naturais que aguardavam a vez na estrutura partidária, para impor ao PT sua escolhida Dilma Roussef. Ela acabou vencendo aquelas eleições, disputando o segundo turno contra José Serra (PSDB) e se reelegendo em 2014, na disputa apertada com Aécio Neves (PSDB).

2014 também foi o ano do início da Operação Lava Jato, quando começaram a circular com força as primeiras denúncias envolvendo a relação íntima e organizada entre partidos políticos, seus principais dirigentes e as empreiteiras fornecedoras da Petrobrás, entre elas gigantes como a Odebrecht, a Andrade Gutierrez, a OAS e outras empresas que juntas representavam praticamente 90% do setor de infraestrutura no país: as que disputam as grandes obras do clube do bilhão.

No meio das denúncias, logo apareceram, inicialmente as primeiras fofocas sobre um apartamento triplex no Edifício Solaris, na praia das Astúrias, lugar que possui uma das mais belas vistas do tradicional balneário de Guarujá (SP), no litoral paulista, o tipo de apartamento que qualquer família de classe média alta em razoável situação financeira pode adquirir através de financiamento. O preço do metro quadrado não é muito diferente do que custa um imóvel do mesmo padrão em qualquer boa cidade do interior paulista.

E Lula foi acusado de ser o dono do imóvel, mas disse que não era. O porteiro falou que era. Os vizinhos falaram que era. Depois Lula foi ao apartamento e disse que não foi. Depois apareceram as fotografias das visitas de Lula e de dona Marisa, as notas fiscais da obra, as informações dos executivos da OAS – e deu nisso tudo que a gente acompanha até hoje.

Depois de José Dirceu, Antonio Palocci e daquela fila de tesoureiros nacionais do PT que entra e sai da cadeia toda hora desde 2005, agora o cidadão Luis Inácio Lula da Silva também foi julgado culpado, no primeiro processo contra um ex-presidente da República que chega ao fim tendo como resultado a condenação pelos crimes de corrupção passiva (por ter recebido da Construtora OAS vantagem indevida) e lavagem de dinheiro (por tentar ocultar e dissimular a titularidade do apartamento).

Lula ainda é réu em outros oito processos, que ainda serão julgados. Sua candidatura a presidente da República em 2018 ainda depende de uma confirmação da sentença de Sérgio Moro em segunda instância, para que não seja barrada pela Lei da Ficha Limpa. Moro poderia ter mandado prender, mas achou prudente, por se tratar de um personagem tão importante da história recente do país, lhe conceder o direito à liberdade até buscar uma segunda opinião sobre o caso em uma instância superior do Judiciário.

 

 

Lula:

O torneiro mecânico que foi líder sindical no ABC paulista e se transformou no primeiro ex-presidente da República condenado à prisão por corrupção e lavagem de dinheiro na história do país.

 

FICHA TÉCNICA

RÉU:

– LUIS INÁCIO LULA DA SILVA

PENA

– 9 ANOS E SEIS MESES DE PRISÃO

CRIMES

–CORRUPÇÃO PASSIVA E LAVAGEM DE DINHEIRO

PROPINA RECEBIDA EM FORMA DE TRIPLEX

– R$ 1.147.770,00

PROPINA RECEBIDA EM FORMA DE REFORMA

– R$ 1.104.702,00

JUIZ AUTOR:

– SÉRGIO MORO

Veja também: