BITCOIN A MOEDA DO MUNDO VIRTUAL QUE CHEGOU PARA A REALIDADE

Redação Diário | Diário Botucatu

Por Thiago Moraes

Conhecido por ser um sistema de dinheiro eletrônico de pessoa para pessoa (A Peer-to-Peer Eletronic Cash System), o bitcoin tem por função realizar transações comerciais. Ao invés do pagamento ser feito via papel moeda, ele é feito por meio digital.

 

Além de sua natureza informatizada, o diferencial desse ativo está na ausência de um banco como mediador – as próprias pessoas negociam o valor entre elas. Com isso, há praticidade ao transferir e receber o dinheiro virtual.

 

A portabilidade e armazenamento dos bitcons são feitos por uma seqüência de caracteres alfanuméricos (número da conta), em carteiras virtuais, em hardware wallet ou em carteiras de papel.

 

Carteiras Virtuais: são serviços online para armazenamento das moedas. A vantagem delas está na praticidade ao acessar a carteira a partir de qualquer computador conectado à internet. A desvantagem é sobre a possibilidade de o servidor sair do ar ou quando pessoas com más intenções criam carteiras falsas com intuito de roubar bitcoins. Portanto, pesquise bem sobre a reputação dessas empresas.

 

Hardware Wallet: tem por objetivo armazenar os bitcoins em hardware, seja em uma Ledger Wallet (dispositivo feito um pen drive) ou em uma Trazor Wallet (dispositivo removível e criptografado). O uso é indicado para guardar grande quantidade de bitcoins. A desvantagem é por conta de apropriação indevida, cujo individuo não autorizado obtenha senha e possa usufruir a moeda virtual.

 

Carteira de papel: indicada também para armazenamento de grande vulto, ela contém chave criptográfica que concede acesso aos bitcoins, o armazenamento da carteira deve ser feito em local seguro.

 

 

Especulação!

 Por causa da alta volatilidade, o bitcoin é uma moeda ideal para especular. Tem dias que a flutuação do ativo pode variar em mil reais. Tanto no exterior como no Brasil esses valores podem ser negociados online em casas de cambo ou em bolsa de valores comprando e vendendo outras criptomoedas (outras moedas digitais como o bitcoin).

 

No Brasil

 Mesmo não sendo consideradas oficialmente, elas não são consideradas ilegais. É necessário declarar em imposto de renda valores entre um mil e 35 mil reais. Todavia, montantes superiores a 35 mil reais recolhem 15% de imposto sob ganho capital.

 

Descentralização, privacidade e praticidade são atrativos que fazem cada vez mais pessoas aderirem a essa nova forma de investimento.

Alguns países como o Japão e a Rússia já reconheceram a moeda virtual. Aqui no Brasil, o Congresso Nacional visa regulamentar a moeda. Algumas audiências foram realizadas, porém nada foi definido.

 

Veja também: