Vai viajar? Então não deixe o Aedes hospedado em sua casa

Antes de sair, é preciso verificar possíveis criadouros do mosquito em seu quintal

sexta-sem-mosquito-faixa-5x1Começou o período que o Aedes aegypti mais gosta, em que os dias quentes e as chuvas no final de tarde criam ambientes perfeitos para a proliferação do mosquito. Por isso, é tão importante evitar deixar possíveis criadouros espalhados pelo quintal, principalmente durante as férias, em que a casa pode ficar vazia por alguns dias em que os moradores saem para viajar.

“O Aedes é um mosquito com hábitos urbanos e prefere os recipientes artificiais para botar seus ovos. Por isso, pratos de plantas, bebedouros de animais, calhas e caixas d’água são seu alvo”, explica Valdinei da Silva, da Vigilância Ambiental em Saúde.

Segundo Valdinei, uma semana de água parada já é o suficiente para o ciclo do mosquito. “Para quem vai viajar, deixar a casa fechada e sem cuidados por alguns dias já pode ser suficiente para o mosquito botar seus ovos e esses ovos se tornarem novos mosquitos”, salienta.

 

ilustracao-dengueReprodução

 

A orientação da Vigilância é que em período de férias ou não, os moradores devem tomar medidas básicas, como verificar se os reservatórios e caixas d’água estão bem vedados, olhar se as calhas estão escoando bem a chuva e evitar deixar as plantas com pratos. “Existem muitos locais na casa onde o mosquito pode botar seus ovos. Por isso é tão importante que as pessoas deixem os agentes da Vigilância fazer uma visita. Essas pessoas são treinadas para encontrar possíveis criadouros”, explica.

E ao voltar de viagem, se sentir qualquer sintoma diferente, como febre, dor no corpo, diarreia, a pessoa deve procurar imediatamente o serviço básico de saúde. “Assim, nós poderemos já notificar um caso suspeito e aumentar as visitas na vizinhança. Assim, conseguimos evitar a proliferação dos vírus transmitidos pelo Aedes e também uma possível epidemia”, completa Valdinei.

Veja também: