Os velhos líderes da UNE e o Brasil de hoje em dia

Cada um no seu tempo, todos eles foram líderes de multidões de estudantes que defendiam causas importantes e fundamentais para os jovens de sua época. Migraram do movimento estudantil para a política partidária. No início, jogaram todo o seu prestígio como lideranças políticas engajadas para as causas que faziam sentido para seus pequenos e barulhentos exércitos de seguidores.

  1. José Serra (PSDB)
    Redação Diário | Diário Botucatu
    O beijo de Serra era falso em 2014, mas vale em 2017

    Depois de ser Presidente da UNE (1.963-1.964), seu sonho era ser Presidente do Brasil. Tentou duas vezes, não deu. Mas foi prefeito de São Paulo (SP) e Governador do Estado. Deve encerrar a carreira política como Senador (seu mandato atual vai até 2022), quando completará 80 anos. Torce pra Lava Jato não fuçar muito nas obras do rodoanel e metrô quando ele era governador de SP. Vai acabar encontrando problemas difíceis de explicar em obras deste tamanho, repleta de disputas jurídicas e ambientais no meio do caminho, fora as licitações a toque-de-caixa para cumprir o cronograma previsto para acontecer sempre antes da próxima eleição.

    2) José Dirceu

    Redação Diário | Diário Botucatu
    Zé Dirceu, com pose de chefe mafioso, segurando as pontas soltas da operação financeira do PT no governo

    A UNE na clandestinidade (1.965-1.968) foi seu ápice na liderança do movimento estudantil. Como presidente da União Estadual de Estudantes Secundaristas (UEE-SP), ajudou a organizar o Congresso de Ibiúna (1.968), onde a ditadura mandou prender os 1.240 participantes. Era o rosto brasileiro que se comparava aos dos líderes estudantis da Europa no mesmo período. Depois fundou o PT, junto com Lula (1.978), se elegeu deputado federal – e projetou os primeiros passos da forte ligação entre o partido, o dinheiro público e seus parceiros privados. É a figura mais emblemática da política brasileira nos últimos 15 anos. Frequenta o noticiário cotidiano dos brasileiros ao lado de expressões como Mensalão, Petrolão e Delação.

    3) Aldo Rabelo

Redação Diário | Diário Botucatu
Aldo Rebelo e Athur Nuzman, presidente do Comitê Olimpico Brasileiro: a política e o esporte se encontram

Outro ex-presidente da UNE (1.980-1.981) que virou estrela de primeira grandeza na política brasileira depois que Lula chegou ao poder. Foi o avalista do acordo que selou a parceria de seu partido com o PT e os espaços de poder que seriam destinados aos comunistas do Brasil dentro do Governo Petista. Aldo sempre foi a referência política dos comunistas em São Paulo, ao lado do velho Jamil Murad, que não encontrou muito espaço depois que os colegas petistas dominaram Brasília e acabou voltando pra capital paulista, onde hoje é vereador.

4) LINDBERGH FARIAS (PT)

Redação Diário | Diário Botucatu
Lindbergh Farias e Sérgio Cabral: O governo do PMDB em parceria com o PT no Rio de Janeiro só não fez chover canivete

Foi presidente da UNE (1.992-1.993) e liderou os caras pintadas (1.992) nas ruas para derrubar Fernando Collor. Depois, se elegeu deputado federal (1995-1.999 e 2003-2004). Em seguida, virou prefeito de Nova Iguaçu (2005-2010), na Baixada Fluminense (RJ), arrastando escândalos pelo caminho antes de garantir um mandato de senador (2011-2018). No mandato, virou colega de bancada governista do ex-presidente cuja queda, 20 anos antes, serviu de trampolim para sua ascensão na política brasileira.

5) Orlando Silva (PCdoB)

Redação Diário | Diário Botucatu
O ministro Orlando Silva: o dono das bolas do Ministério do Esporte quando começaram as obras da Copa do Mundo e da Olimpíada

Foi o primeiro negro a ocupar a presidência da UNE (1.995-1.997). Foi tesoureiro da entidade durante a gestão de Lindeberg Farias. Depois, foi presidente da União da Juventude Socialista (UJS). Quando Lula montou o governo foi trabalhar com Aldo Rebelo no Ministério dos Esportes, até se tornar ministro da pasta, em 2006. O resto faz parte do conjunto de escândalos que precisam ser esclarecidos em relação aos últimos eventos internacionais do esporte sediados em solo brasileiro. Atualmente é deputado federal.

Veja também: