O sonho presidencial dos políticos do Rio de Janeiro

Redação Diário | Diário Botucatu
O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) é uma espécie de “Fufuquinha” do Rio de Janeiro. Filho do ex-prefeito do Rio César Maia (foto), faz parte do grupo mais tradicional da política carioca.
Quer ser governador em 2018, mas topa “fufucar” direto a presidência da República, se for o escolhido. Mas o preferido da turma de Temer ainda é o prefeito paulistano João Dória Júnior, que só precisa tirar um pé do PSDB.

Rodrigo Maia como vice de João Dória Presidente em 2018, quebrando uma perna do PSDB paulista e garantindo o apoio dos tucanos ligados a Aécio Neves em Minas Gerais e em outros estados, além da máquina do PMDB, PR, PTB, PRB e outros que fazem parte da turma que arrasta a saia para quem tem mais chance de ser poder.

Saem as duplas São Paulo com Minas Gerais (café com leite), entram as duplas São Paulo e Rio de Janeiro (um fufuca que arrasta o R e outro Fufuca que arrasta o S). Essa é a roupagem nova que a turma da Lava Jato tenta construir quando olha pra 2018 precisando de nomes menos contaminados junto à opinião pública.

Os outros aliados estão prontinhos nos estados e nos municípios pra engordar a campanha. E se a popularidade de Temer estiver muito ruim, ele finge que a Presidência é uma instituição e não apoia ninguém oficialmente. Publicamente, é claro. Caixa 2 é outra história.

Mas Rodrigo Maia também sonha em ser presidente. Se a turma do poder se convencer de que ele é viável, vai apostar todas as fichas nele, que parece mesmo ser o nome mais adequado para a nova fase da organização criminosa que ocupou o estado brasileiro. É o Fufuca mais influente da sua geração.

PERSONAGEM DO DIA

Redação Diário | Diário Botucatu

MOREIRA FRANCO

Ele também estava no terceiro andar do Planalto nos tempos de FHC. Fazendo o quê?!

Ex, deputado federal, ex-governador do Rio de Janeiro, atualmente ministro chefe da Secretaria Geral da Presidência. É o homem da sala ao lado do presidente Michel Temer. Moreira Franco é casado com a sogra de Rodrigo Maia.

Moreira Franco nunca soube qual era o seu lado certo desde os tempos da ditadura, quando não sabia se era melhor ser Arena ou MDB. Mas esteve sempre ao lado do Poder. Com Sarney, Collor, FHC, Lula, Dilma e Temer, nossos seis últimos presidentes.

Parece que o PSDB pediu desculpas na televisão na hora certa. A Lava Jato pode mesmo estar cruzando a divisa entre o século 21 e chegando ao século 20.

Veja também: