JOÃO CURY, SEU DUELO REGIONAL, E AS TERCEIRAS VIAS QUE NÃO SURGEM…

Redação Diário | Diário Botucatu
O adversário Milton Monti (PR), continua presente na cena política de Botucatu, independente de quem seja o prefeito da cidade. Mas as constantes fotografias ao lado do prefeito Mário Pardini conseguem irritar bem os tucanos mais próximos a João Cury

O adversário a ser batido hoje tem nome e sobrenome: Milton Monti (PR). Ao se livrar daquele que talvez fosse seu processo judicial mais incômodo, na esfera jurídica João Cury deve ficar do mesmo tamanho de Milton Monti.
Uma dúvida pra cada lado. E uma torcida dos dois lados para que ela permaneça indefinida ou seja resolvida de um jeito que possa ser transformado em fato positivo até outubro do ano que vem.

O inconveniente jurídico que restou no meio dos planos políticos de João Cury é a compra de massa asfáltica que foi denunciada pelo Ministério Público no mês passado (agosto de 2017) e teve o bloqueio de bens de João Cury e outras 10 pessoas autorizado pela Justiça. O processo ainda não tem data para ser julgado no Fórum de Botucatu.
Enquanto isso, Monti sofre o desgaste por causa das relações entre sua campanha de 2010 e o setor de propinas da Odebrecht – que abastecia o propinoduto da Petrobrás que abastecia os aliados dos interesses da maior construtora da América Latina em obras de infraestrutura para qualquer setor: da hidrelétricas às estradas, dos estádios da Copa às plataformas de petróleo.

Mas isso não o impede de manter a roda de amigos fiéis que lhe garante votações expressivas em Botucatu desde 1.998, quando se elegeu para o primeiro de seus cinco mandatos como deputado federal.

Redação Diário | Diário Botucatu
O CASO DO ASFALTO É A PRÓXIMA TORCIDA DOS FÃS DO TUCANO
Se o Caso Sangari ficou “de lado”, a próxima pedra a ser retirada do caminho de João Cury, talvez com mais dificuldade, seja a compra de 7 toneladas de asfalto realizada em 2009, que também foi denunciada pelo Ministério Público.
Os advogados do ex-prefeito agora se preparam para a nova batalha jurídica.

 

E AS TERCEIRAS VIAS DA POLÍTICA REGIONAL?

Elas existem. Mas precisam demonstrar mais do que apenas a vontade de disputar uma eleição polarizada.
Precisam dizer, em nome do que e de que tipo de política, pretendem apresentar seus nomes no meio desse derby regional que apaixona corações e pode definir o início ou não de um novo ciclo político na região de Botucatu, onde moram cerca de 300 mil, dos eleitores paulistas.

Este é um lugar do Brasil onde muita gente que ainda sai de casa pra votar, prefere escolher quem parece que vai ganhar. Às vezes, só pra ter o prazer de poder tirar um sarro do cunhado, do vizinho ou do colega de trabalho, que fez uma escolha diferente na hora de digitar alguns dígitos qualquer na urna eletrônica.

É a festa da Democracia.

Tenha um bom dia.

Independente se você prefere João Cury, Milton Monti ou qualquer das boas terceiras vias que surgirem na sua frente. O importante é ter saúde pra poder, de vez em quando, fazer um brinde à boa política. Não é mesmo?!