Examinador é preso acusado de pedir propina em prova prática

Rapaz de 28 anos foi denunciado pela própria candidata após solicitar dinheiro para aprová-la;

Um examinador de prova prática de direção veicular foi preso em flagrante em Sorocaba na ultima terça-feira (14/11) acusado de pedir propina a uma candidata. O rapaz, de 28 anos, foi denunciado pela própria aluna, uma vendedora de 19 anos.

Segundo o boletim de ocorrência, após o teste da candidata na categoria B (carro), o examinador solicitou dinheiro para aprová-la. O montante de R$ 330 deveria ser depositado na conta corrente do acusado. A vendedora relatou o caso à instrutora da autoescola que a acompanhava no exame.

Informado do que havia ocorrido, o gerente da autoescola contatou o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) e acompanhou a aluna até o Distrito Policial, onde foi registrado boletim de ocorrência por concussão (exigir vantagem indevida; artigo 316 do Código Penal).

O examinador foi levado para delegacia e preso em flagrante. Foi conduzido então ao Centro de Detenção Provisória de Sorocaba.

O examinador não é funcionário público e atua por meio de credenciamento no Detran.SP, que vai instaurar procedimento administrativo visando o descredenciamento para que ele não possa mais participar de provas práticas.

“O processo de habilitação visa mais do que fornecer uma CNH para o cidadão. Ele é muito importante para formar um condutor que contribua para a segurança de todo o trânsito ”, diz o diretor-presidente do Detran.SP, Maxwell Vieira. “O Detran.SP tem atuado de forma permanente para combater qualquer tipo de irregularidade. O comportamento da candidata, que apontou a atitute do examinador, vai ao encontro do que temos feito e merece nossos agradecimentos.”

Em agosto, o Detran.SP lançou uma campanha educativa sobre o processo de habilitação. Por meio de folders e um vídeo exibido antes da prova teórica, o candidato é informado sobre a importância do processo para a formação de condutores conscientes e, caso presencie qualquer situação suspeita ou ilegal, orientado a relator o caso ao Detran.SP, por meio da Ouvidoria. O contato está disponível no portal detran.sp.gov.br.

Veja também: