De Agosto a Dezembro – Ainda há tempo!

Redação Diário | Diário Botucatu
 por Thairine Melinski
Colaboradora DB

Sentada em um bar com duas amigas, resolvi lançar a pergunta: ” o ano já acabou para vocês? ” Imediatamente recebi a resposta enfática de ambas: “imagina, ainda há muita coisa para rolar! ”. Pois bem, isso contribuiu para que este texto viesse à tona.

Estamos em agosto, o famoso mês que nunca acaba e bastante visto como a curva para se chegar a reta do fim do ano. Afinal, quando se pisca já é junho e julho parece ser o momento decisivo para várias instâncias. Não começou a academia? Não melhorou a alimentação? Deixou de fazer aquele passeio que tanto queria? Por que não começar agora? Muitas vezes pensar nos próprios planos cansa, pode acumular algumas frustrações e até intimidar o indivíduo a se movimentar. E isso faz com que as ações sejam postergadas entrando para a cota de promessas do ano seguinte; sim, aquelas mesmas do “agora vai! ”.

A reflexão de hoje está nas folhinhas numeradas de um a doze. Se você fosse criar um calendário próprio, ele seria como? Planos para cada estação? Ações pensadas com a associação de espaço? Ou de acordo com sua situação financeira? São múltiplas as possibilidades e o que precisa ser feito para a elaboração do mesmo é só parar para pensar em como você se organiza melhor. O intuito aqui não é dizer para descartar o calendário (gregoriano, o qual usamos) e viver em um mundo paralelo, afinal, toda a sociedade continuará funcionando de acordo com ele. Os boletos vencerão no mesmo dia, réveillon ainda será em dezembro e se a conta de luz não for paga será cortada. Os compromissos continuarão normalmente.

O fato é que sua própria forma de organização pode estar paralela a todos os compromissos e, aos poucos, o que primeiramente foi um plano, agora passa a ser, também, um compromisso consigo mesmo, pois conseguiu fazer com que um plano saísse do imaginário. O que te impede de começar, por exemplo, a caminhar?  Ou a fazer o passeio? Iniciar algum projeto? Muitas vezes o pensamento de que os compromissos são tantos e que não lhe sobra tempo. Repense sua organização. Não se restrinja à dias, meses e anos como estamos acostumados. Sua liberdade é capaz de criar várias ferramentas, até mais tempo! Claro, a reorganização exige um grande esforço, mas ele pode ser satisfatório e lhe proporcionar a mente calma de que ainda há tempo!

Veja também: