Histórias de Natal: estudante vira Papai Noel de última hora em festa de família

Guilherme Tonette conta que teve de substituir tio falecido; brincadeiras e boa atuação renderam boas risadas

Natais sempre rendem bons encontros familiares e, muitas vezes, histórias memoráveis. E uma delas foi enviada por nosso leitor Guilherme Tonette.

Guilherme teve de tirar uma atuação de Papai Noel de dentro do saco de presentesReprodução
Guilherme teve de tirar uma atuação de Papai Noel de dentro do saco de presentes

O estudante conta que nas festas de 2012, sua família se reuniu na casa do padrinho, onde normalmente são feitas as reuniões. No mesmo ano, seu tio havia falecido. E era ele quem sempre se vestia de Papai Noel. “Portanto, para quem sobrou essa façanha? Isso mesmo, para mim. O mais legal foi que a decisão não foi minha e aconteceu horas antes da meia noite”, relembra.

Por ser uma pessoa magra, foi preciso improvisar enchimentos para que ficasse mais rechonchudo. “Colcamos travesseiros na barriga e na bunda, dentro da roupa natalina”, afirma.

No começo, Tonette estava “meio cético” quanto a encarnar um bom Papai Noel. “À primeira vista, as crianças gostaram bastante da visita do Noel. E logo em seguida, percebi que os adultos estavam gostando da minha apresentação. Assim, fiquei mais relaxado e ampliei meu repertório de frases e poses para parecer um velhinho contente”, diz.

Ele conta também que na hora de entregar os presentes, ele fazia piadas que animavam o ambiente. E um momento especial causou um certo desconforto entre ele e uma conhecida. “Quando foi a vez de chamar uma moça que não era parente e eu não tenho muito contato, mais ou menos da minha idade, os adultos tiraram sarro dizendo para ela sentar no colo do Papai Noel e dar um beijinho no rosto! Não sei quem ficou com mais vergonha, se fui eu ou ela”, afirma.

Segundo ele, por estar disfarçado com a barba, a reação ficou mais visível na mulher. “Demos risada. Ela não sentou no meu colo, apenas me abraçou e pronto. Mas foi muito descontraído e divertido em todos os momentos”, salienta.

Desde então, Tonette tomou o papel de Papai Noel oficiais da família nas festas natalinas, mesmo que a maioria das crianças, que já não são mais tão crianças, não acreditem no bom velhinho. “Venho para dizer que foi uma experiência muito legal. Incentivo todos a, pelo menos uma vez, se apresentarem como Papai Noel!”, finaliza.

Obrigado pela dica, Guilherme Tonette, e um ótimo Natal para você e toda a sua família!