De Turim a Chapecó: os desastres aéreos que marcaram o mundo do futebol

Em 1949, foi o Torino; Em 58, o gigante inglês Manchester United; No início dos anos 90, a Zâmbia; Hoje, quem lamenta, é a Chapecoense

O mundo do futebol acordou de luto. O avião que levava a delegação da Chapecoense até Medellín, na Colômbia, para disputar o jogo mais importante da história do clube caiu na madrugada dessa terça-feira (29). Mais de 70 pessoas, entre jogadores, dirigentes, jornalistas e tripulantes, morreram e poucas sobreviveram.

A equipe de Chapecó escrevia, desde 2009, uma das mais emocionantes histórias dentro dos gramados brasileiros. Da Série D até a final da Copa Sul-americana em poucos anos, a Chape deixou o Brasil e o mundo de luto.

Os acidentes aéreos envolvendo equipes de futebol são poucos, mas marcantes. Cada um deles deixou uma cicatriz gigante no local da queda. Do Estádio Olímpico de Turim à Arena Condá, muitos futebolistas perderam a vida e paralisaram a esfera que rolava tranquilamente dentro das quatro linhas.

A TRAGÉDIA DE SUPERGA – maio de 1949

No dia 4 de maio de 1949, o tradicional clube italiano Torino, tetracampeão da época, regressava de Portugal após um amistoso contra o Benfica.

A equipe de Turim, tetracampeã italiana na época, perdeu 18 jogadores no acidenteFoto: Reprodução Internet
A equipe de Turim, tetracampeã italiana na época, perdeu 18 jogadores no acidente

A aeronave decolou do Aeroporto de Portela, em Lisboa, pela manhã, e parou no início da tarde para reabastecimento, em Barcelona. Ao decolar da cidade espanhola, prestes a se aproximar do território italiano, a tripulação recebeu a informação de denso nevoeiro, com baixa visibilidade horizontal. Por volta das 17h, o comandante do voo iniciou os procedimentos de aproximação visual para aterrissagem. Foi quando o avião se chocou contra o muro da Basílica de Superga.

Dentro do avião, haviam 31 pessoas, entre eles, 18 jogadores da equipe do Torino, delegação, jornalistas e tripulantes. Todos morreram instantaneamente.

O DESASTRE AÉREO DE MUNIQUE – fevereiro de 1958

Em 1958, oito jogadores e três funcionários do Manchester United, da Inglaterra, perderam a vida em MuniqueFoto: Reprodução Internet
Em 1958, oito jogadores e três funcionários do Manchester United, da Inglaterra, perderam a vida em Munique

O gigante inglês Manchester United protagonizou em 6 de fevereiro de 1958 mais um triste capítulo da história do futebol com os acidentes aéreos.

A equipe, que na época encantava o mundo com seu futebol, voltava de Belgrado, na Sérvia, onde havia disputado a segunda partida das quartas de final da Liga dos Campeões, contra o Estrela Vermelha. Durante o retorno, a aeronave teve que parar em Munique para reabastecer. E de lá, não conseguiu decolar. Ao tentar alçar voo novamente pela terceira vez, o avião se chocou contra uma cerca e, posteriormente, em uma casa no final da pista.

A aeronave abrigava 44 pessoas, 23 morreram, entre elas, oito jogadores do Manchester United, três funcionários do clube, oito jornalistas, dois tripulantes, um torcedor e um agente de viagens. Outras 21 conseguiram sobreviver, entre elas estava Sir Bobby Charlton, o maior jogador da história do futebol inglês.

SELEÇÃO ZAMBIANA DE FUTEBOL – abril de 1993

Um dos mais recentes desastres aéreos envolvendo equipes de futebol aconteceu no dia 27 de abril de 1993. A aeronave que transportava a seleção da Zâmbia até Senegal pegou fogo e caiu nas proximidades da cidade de Libreville, capital do Gabão.

No início dos anos 90, a queda do avião que transportava a seleção da Zâmbia até Senegal, deixou 30 vítimasFoto: Reprodução Internet
No início dos anos 90, a queda do avião que transportava a seleção da Zâmbia até Senegal, deixou 30 vítimas

A equipe, que disputava ponto a ponto com o Marrocos a última vaga africana para a Copa de 1994, viajava até o Senegal para disputar uma partida das eliminatórias quando um dos motores da aeronave pegou fogo ocasionando a sua queda. Todos os 30 ocupantes, entre jogadores, delegação, tripulação e outros, morreram.

Em 2012, após vencer pela primeira vez a Copa Africana de Nações, os atletas zambianos dedicaram a conquista às vítimas do acidente aéreo de 1993.

Veja também: