Secretaria da Educação faz estudo sobre vale-creche e quer melhorar índices

Professora aposentada da rede pública municipal, Lucilene Alves da Silva Cota trabalhou como professora, vice-diretora do supletivo municipal, diretora escolar da EMEFEI “Professor Luiz Carlos Aranha Pacheco”, localizada no Jardim Paraíso, e atualmente é secretária da Educação na gestão do prefeito Mário Pardini (PSDB).

Lucilene Cota também trabalhou na rede pública estadual por 16 anos, além dos 16 anos na rede pública municipal. “Fui professora na zona rural de Botucatu nas escolas Monte Alegre, Faxinal, Boa Esperança, Santa Maria do Araquá e Cesar Neto”, conta.

Para a atual secretária, o ensino de Botucatu teve uma melhora expressiva nos últimos anos. Mas ela prega a melhoria contínua. “Nós, do atual governo Pardini, estamos trabalhando para dar continuidade a essa melhoria na qualidade de ensino. Os desafios são grandes e, para atingir todos os nossos propósitos, precisamos cada vez mais investir na capacitação do professor, reorganizar as estruturas físicas, didáticas e metodológicas no ensino, melhorar ainda mais o IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), ou pelo menos manter o índice, sendo que já atingimos a meta proposta para 2020”, enumera.

Resolver a questão da falta de vaga em creches é uma das metas da secretária. “Esse é um grande desafio. Através do nosso sistema de matrícula Webinfantil, que nos informa o número de vagas e a lista de espera em creche, estamos nos organizando e aumentando o número de crianças atendidas em algumas creches onde a demanda ainda é grande”.

Outro estudo importante envolve o vale-creche prometido por Pardini na campanha, que falava em bancar vagas em instituições particulares até serem abertas novas vagas públicas. “Estamos fazendo um estudo minucioso sobre o vale-creche em parceria com as escolas particulares, pois envolve projeto de lei, impacto orçamentário, verba… Estamos fazendo um levantamento em quais setores que a demanda é maior e com deficiência em vagas”.

Rotineiramente os uniformes escolares são entregues após o início do ano letivo, e até mesmo os kits já deixaram de ser entregues. Mas a secretária garante estar buscando uma solução. “A entrega dos uniformes escolares nos últimos dois anos não pôde ser realizada devido a duas empresas impugnarem a licitação. Isso demandou um desgaste muito grande, por envolver ação judicial. Este ano estamos fazendo novamente a licitação para a aquisição dos uniformes, para serem entregues ainda no primeiro semestre. Esperamos que não ocorra nenhum contratempo para que possamos garantir este benefício para os nossos alunos”.

Na entrevista ao Diário, Lucilene Cota fez questão de destacar que neste ano será feito o Projeto Integra em 14 escolas da rede municipal de ensino, atendendo 22 núcleos. “O Projeto Integra foi idealizado em 2016 pela secretaria municipal de Educação e desenvolvido pela coordenadoria de educação física, onde realiza atividades de reforço escolar, oficinas diversas, música, artes e atividades físicas no contraturno escolar. O prefeito Pardini fará um investimento grande, para que todos os alunos da rede municipal participem desse projeto e fiquem em tempo integral nas escolas, trazendo mais segurança e tranquilidade para os pais”.

“Os desafios na educação são grandes, mas acredito que se todos os profissionais da área de educação se envolverem para resolver os problemas educacionais e acreditarem que podemos mudar a qualidade do ensino, conseguiremos alcançar o aperfeiçoamento na educação para os nossos alunos. Precisamos nos reinventar, para que nossas crianças possam sonhar com um futuro melhor”, finaliza Lucilene Cota.

Veja também: