Projeto ‘Era uma vez um cinema’ incentiva arte através de cenas de filmes

Após pintura das cenas em muro de escola, próximas ações serão encenação e filmagem de curtas-metragens

Sidney Trovão
Os alunos do sexto ao nono ano fizeram pinturas de diversas cenas de filmes de sua preferência, que, futuramente, serão encenados

Alunos do sexto ao nono ano do ensino fundamental da EMEF Professora Elda Moscogliato estão participando do projeto “Era uma vez um cinema”. Sob orientação do professor de artes da instituição, José Claudinei da Cruz, a iniciativa visa trabalhar com cenas de filmes nas diferentes linguagens artísticas. Até o momento, as artes visuais foram exploradas através de pinturas de cenas dos filmes no muro da escola, realizadas pelos próprios alunos. O projeto segue em andamento até o final de 2017.

O professor comenta como surgiu a ideia de realização da ação, que conta com a participação de alunos de 14 salas de aula, e já esboça as próximas atividades a serem trabalhadas. “Eu gosto de trabalhar muito com a imagem em movimento e geralmente eu faço isso através de trechos de filmes. Então, com as pinturas, eu quis mostrar alguns filmes que depois nós vamos trabalhar, encenar e filmar. Eu dou muitas aulas teatro e elaboro curtas-metragens porque eu acho que todo esse processo é importante para o aluno ser completo”.

Ele salienta que as pinturas realizadas no muro são apenas uma parte do projeto, que se estenderá até o fim deste ano. “Nós estamos trabalhando com a história do cinema dentro de sala de aula, depois nós vamos trabalhar a interpretação e, posteriormente, fazer uma filmagem. Então até o fim do ano letivo essa ideia continua”.

Sidney Trovão
José Claudinei da Cruz: “A arte é o caminho para a educação do país”

Mesmo se tratando de um projeto que envolve alunos de diferentes idades, todos conseguem atuar igualmente e os benefícios sociais são evidentes. “Nós trabalhamos com alunos do ensino fundamental do sexto ao nono ano, mas eu vou respeitando a faixa etária e trabalho os assuntos de acordo com as idades. Eu acho que essa participação é muito importante para eles, porque quando o aluno produz, não tem vandalismo, justamente porque a arte é feita por ele. No muro não tem marca nenhuma que não sejam as que nós pintamos” compartilha Da Cruz.

“Como eu já estou nesse ramo há 20 anos eu percebo que a arte pode fazer muito pela educação. Por exemplo, se um menino que não se interessa muito por desenho, mas gosta de dançar e dança bem, essa atividade reflete na autoestima dele, ela fica mais elevada e ele se sente participante da educação e valorizado dentro desse processo. O mesmo ocorre com pessoas que têm mais facilidade em outras linguagens artísticas”, completa o educador, que finaliza: “a arte é o caminho para a educação do país”.

Veja também: