Projeto de escola municipal incentiva peças teatrais em contraturnos

Trata-se de uma parceria entre a escola Sartori e a Associação Fraternal Pelicano (AFRAPE)

Alunos participam dos ensaios das peças teatraisArquivo Pessoal
Alunos participam dos ensaios das peças teatrais

“Eu, você, nós x AFRAPE”. Assim é intitulado o projeto que está sendo realizado pela Escola Municipal de Ensino Fundamental Professor José Antonio Sartori, localizada no Jardim Eldorado, em parceria com a AFRAPE (Associação Fraternal Pelicano). Na ação, crianças e adolescentes do ensino fundamental podem ensaiar peças de teatro sob a orientação de profissionais especializados nos períodos de contraturnos.

De acordo com a diretora da escola Sartori, Mariângela Nicolosi de Quadros, o projeto surgiu após ela conhecer o trabalho feito pela AFRAPE, através do auxílio da UNICEF.

“Em 2014 eu tive a oportunidade de conhecer as atividades desenvolvidas na AFRAPE. Foi quando me deu uma luz e eu pensei em unir o útil ao agradável”, relembra.

Ainda de acordo com a diretora, o que mais lhe chamou a atenção foi o fato da associação trabalhar com profissionais especializados.

A partir deste primeiro contato a escola e a associação deram início ao projeto. Atualmente duas professoras, concedidas pela AFRAPE, mas financiadas pela UNICEF, trabalham junto à cerca de 50 alunos na escola Sartori.

Mariângela acredita que trazer os alunos para dentro da escola após o período de aulas faz com que eles fiquem longe da vulnerabilidade social.

“São duas turmas no período da manhã e duas turmas no período da tarde que ensaiam todas as terças-feiras, nos contraturnos. Isso mostra que a escola em tempo integral dá certo”

A diretora afirma que é impressionante a maneira com a qual os alunos se desenvolvem no projeto.

“Nós temos crianças com potencialidades dentro da escola. Muitas vezes a criança que tem dificuldades na escola se transforma nos ensaios, lá eles conseguem mostrar expressão corporal, coordenação e ainda desenvolvem a leitura”, afirma.

Potencial de ampliação

De acordo com Mariângela, o projeto tem sido tão bem desenvolvido pelos alunos que eles já estão apresentando as peças de teatro em outras instituições de ensino.

“A gente está começando um trabalho com nossos alunos, mostrando a importância dele e o disseminando para a comunidade escolar. Num futuro bem próximo nós vamos abrir para toda a população estudantil”, expõe.

A diretora estima que no ano que vem, alunos de outras instituições já poderão começar a fazer parte dos ensaios teatrais e dependendo da demanda serão criados com grupos de acordo com as faixas etárias dos estudantes.

Veja também: