Professores do ADV Vestibulares comentam a prova de 1ª fase da UNESP

adv

Prezando pela excelência e seriedade do seu ensino e contando com a elevada qualidade do seu corpo docente, o ADV Vestibulares realizou uma análise sumária da prova da Unesp (2016) aplicada no último domingo. Seguem abaixo as opiniões de alguns dos professores da rede ADV, que contam com um profundo conhecimento quando se trata do assunto “vestibular”:

A prova abordou de forma direta e clara importantes áreas da Física. Enquanto a Mecânica esteve presente em boa parte das questões, a Termologia não apareceu. A Vunesp discutiu diversos conceitos em seus aspectos qualitativos, e somente em duas questões os cálculos eram imprescindíveis. Importante ressaltar que a questão de Óptica esteve presente, com pequenas adaptações, na edição de 2013 e em nossa revisão.O aluno que se dedicou ao estudo dos conceitos e proporcionalidades das diversas grandezas, após realizar leitura atenta dos textos e diagramas fornecidos, não encontrou dificuldade em resolver as questões de Física no tempo disponível.

Franco Giagio – Prof. de Física

A prova de Biologia, como sempre, foi clara e não gerou dúvidas. Foi exigido um bom nível de conhecimento e também um bom domínio de interpretação de texto. Foi uma prova elaborada para selecionar o aluno bem preparado. O tema mais cobrado foi Botânica, com questões envolvendo assuntos como Fotossíntese, Enxertia e Hormônios Vegetais (Poda). Outro tema bem explorado foi a Parasitose, exigindo conhecimentos atuais sobre Zika, Chikungunya e Dengue.O tema Citologia e Genética exigiu do aluno um bom nível de conhecimento e um grande poder de interpretação. Na minha opinião foram as duas questões mais trabalhosas da prova. Por último tivemos o tema Evolução, cobrado de forma bem simples, envolvendo apenas o conceito de convergência adaptativa. A surpresa foi a ausência do tema Fisiologia Humana, muito recorrente nos anos anteriores.

Cléber Hidalgo – Prof. de Biologia

A prova da UNESP 2017 não apresentou grandes surpresas em suas sete questões de Matemática. O vestibulando que estudou os últimos exames pôde analisar o modelo e padrão da avaliação, além de ter tido a oportunidade de estudar temas que voltaram a ser solicitados nesta última prova. Nos últimos dois anos, a VUNESP (Fundação responsável pela prova da UNESP) elaborou questões que envolviam temas já pedidos, ou seja, mais de 50% dos assuntos voltaram a ser solicitados e exigidos na prova de 2016, entre os quais se destacam probabilidades, sistemas com equações lineares, progressão aritmética, porcentagem e áreas de figuras planas. Os estudantes que tiveram uma preparação adequada possivelmente conseguiram um bom desempenho na prova de Matemática, uma vez que a única ausência, não esperada, foi o tema logaritmos, assunto abordado nos últimos três certames.

Danilo Pimentel – Prof. de Matemática

O Colégio ADV acertou mais uma vez! A prova de Comunicação e Expressão da Unesp, realizada nesse domingo, embora bastante variada em conteúdos, foi amplamente estudada pelos nossos alunos. Em nossas aulas de Artes, Literatura e Interpretação de textos, ressaltamos que a Unesp tem por tradição oferecer questões ligadas aos movimentos artísticos não cobrados pela lista de leituras obrigatórias da Fuvest e da Unicamp, o que de fato ocorreu. Foi exigida a análise do texto teatral de Gil Vicente, pertencente ao Humanismo, além da leitura do poema árcade de Cláudio Manoel da Costa e das características de “Os Sertões”, de Euclides da Cunha, pertencente ao Pré-Modernismo brasileiro.

Em relação ao Modernismo, mais uma vez acertamos ao indicar que a Unesp costuma cobrar artistas de renome, bem como as temáticas que norteiam suas respectivas produções, que estudamos em aulas específicas ao longo do ano. Assim, Tarsila do Amaral, Fernando Pessoa e Carlos Drummond de Andrade, exigidos no exame, foram facilmente traduzidos por nossos alunos.

Também não nos esquecemos de alertálos sobre o olhar atento que o exame dá ao texto e à organização discursiva da mensagem. Na aula da revisão para o exame, falamos sobre os articuladores de coesão e de coerência textual, como a questão ligada à conjunção concessiva “mesmo que”; os recursos expressivos comumente cobrados na avaliação, tal qual a “ironia” exigida na questão ligada ao teatro de Gil Vicente; e a percepção sobre o dado trabalhado em um contexto de forma denotativa ou conotativa, objetiva ou subjetiva.

Nossa equipe de professores está certa do sucesso dos nossos alunos e feliz pela oportunidade de terem depositado em nosso trabalho a confiança para o acesso às melhores Universidades do país.

Equipe de Comunicação e Expressão

Veja também: