Estudante de Botucatu conquista prêmio em Olimpíada de Matemática

Paloma Eduarda Salvador de Mello, de 16 anos, da ETEC Dr. Domingos Minicucci Filho, ficou em 3º lugar

Paloma disse que não esperava o resultadoReprodução
Paloma disse que não esperava o resultado

A estudante do 2º ano do Técnico de Informática Integrado ao Ensino Médio, na ETEC Dr Domingos Minicucci Filho, em Botucatu, Paloma Eduarda Salvador de Mello, de 16 anos, recebeu medalha e certificado ao conquistar o 3º lugar da Olimpíada Regional de Matemática, realizada pela UNESP de Bauru. A premiação aconteceu no sábado passado.

Segundo Paloma, a prova, realizada em outubro, continha cinco questões e foi bem cansativa. “Tinha que resolver todas, ou ao menos tentar. Os professores consideravam tudo o que fazia, não só a resposta final. Tinha também interpretação de texto para saber usar os números do enunciado na fórmula”, conta.

Aluna ao lado do professor Thadeo Azambuja e da mãeReprodução
Aluna ao lado do professor Thadeo Azambuja

Ela disse que estava bem nervosa. “Eu queria ir bem para deixar os professores e meus pais orgulhosos. Eu nunca havia participado. Foi a primeira vez. Mas eu fiquei feliz, não imaginava esse resultado. Fiquei bem surpresa”, afirma.

Paloma disse que, para se preparar, resolveu questões de provas antigas, além de participar de aulas extras que o professor Thadeo Azambuja ministrava. O educador disse que havia conversado com a coordenação da escola para dar aulas extras, como plantões, para auxiliar os estudos em geral. “Sempre falta alguma coisa para completar os estudos, então fazia essas aulas. A gente ficava no final de tarde estudando matemática, sem se preocupar com a prova [da Olimpíada]. A gente se preocupava em fazer o estudo da matemática. Mais perto eu trouxe alguns exercícios das Olimpíadas anteriores”, afirma.

Azambuja conta que Paloma foi escolhida, ao lado de mais uma estudante, entre 150 alunos. “Não estava esperando um resultado desse. Foi a primeira vez que uma aluna de Botucatu foi premiada”, afirma. Ele disse também que a jovem é muito dedicada. “Está sempre atenta ao conteúdo, é participativa. É uma aluna excepcional, fora dos padrões. Quando faz provas, é sempre caprichosa na execução”, diz.

Na hora de receber o certificado, conta o professor, a aluna estava como quando realizou a prova, nervosa. “No dia ela estava com os pais e com o namorado, e na hora de receber o prêmio, tremia bastante, estava nervosíssima. Mas foi bem legal”, lembra. Azambuja disse que essa é uma experiência para ser guardada. “Foi super especial. Por tudo que ela fez”, finaliza.