Ceatox inicia projeto junto a escolas de Botucatu

Iniciativa alerta sobre riscos de acidentes com produtos tóxicos junto crianças e jovens

Divulgação
João Leandro Chaguri, farmacêutico do Ceatox, idealizador do projeto


O
 Centro de Assistência Toxicológica, unidade auxiliar vinculada ao Instituto de Biociências (IB) da Unesp, campus Botucatu, começou um novo projeto junto a 16 escolas de Botucatu. Trata-se da conscientização dos riscos de acidentes com produtos tóxicos, direcionado a educadores de crianças e adolescentes. A primeira palestra com representantes de cada uma das instituições de ensino ocorreu no último dia 27 de novembro, na Secretaria Municipal de Educação, com prosseguimento das atividades no início do próximo ano.

“Primeiro faremos algumas aulas de conscientização e orientação sobre as principais intoxicações que atingem as crianças. Depois, os participantes deverão elaborar uma atividade pedagógica que possa ser aplicada em sala de aula com seus respectivos alunos, em seguida essa atividade será desenvolvida nas salas de aula. Na terceira etapa, deverá acontecer uma atividade, também desenvolvida por esses participantes, com os pais dessas crianças, que são fundamentais neste processo de prevenção de acidentes”, detalha João Leandro Chaguri, farmacêutico do Ceatox, idealizador do projeto.

De acordo com o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), no Brasil, entre 2010 e 2015, aconteceram por volta de 87.875 notificações de intoxicação. Destas, crianças de 0 a 14 anos foram responsáveis por 55.091 notificações. Destes, 50% dos casos envolveram crianças de 0 a 4 anos. Entre os principais agentes tóxicos que causaram intoxicações nessa faixa etária destacam-se medicamentos e domissanitários, ou seja, substâncias ou preparações destinadas à higienização e desinfecção domiciliar como alvejantes, detergentes, entre outros.

intoxicacao-crianca.jpg
“A ideia deste projeto surgiu a partir de levantamentos feitos a partir do registro das orientações telefônicas que fazemos. Percebemos que existe um quantidade imensa de crianças que acabam se intoxicando de forma acidental, e que poderiam ser evitados através de conscientização. Geralmente, as intoxicações em crianças são decorrentes de situações facilitadoras, características peculiares às fases de desenvolvimento da criança e pouco incentivo às medidas preventivas” argumenta o profissional do Ceatox, que também promove junto às escolas de Botucatu outro importante projeto chamado Anjos da Guarda, voltado à prevenção do abuso de drogas.

Sobre o Ceatox

O Centro de Assistência Toxicológica, unidade auxiliar vinculada ao Instituto de Biociências de Botucatu da Unesp, desde a década de 70, tem como finalidade desenvolver atividades na área da Toxicologia, bem como orientações telefônicas através do 0800-722-6001 a profissionais da área da saúde de todo o País envolvidos no tratamento de humanos e animais intoxicados.

Também realiza análises toxicológicas com ênfase em metais pesados e agrotóxicos, além de pesquisa e formação de profissionais na área, através da promoção de estágios, palestras, cursos, aulas e mestrado e doutorado na área. Entre as diversas atividades, destaca-se ainda o atendimento ambulatorial a pacientes intoxicados cronicamente, principalmente por agrotóxicos e metais pesados.

O Ceatox tem um dos únicos ambulatórios neste formato no Brasil, com uma média anual de 350 atendimentos e 800 coletas de sangue para exames. Ele conta com uma equipe multiprofissional constituída por docentes, médica, enfermeira, farmacêuticos, químicos e pesquisadores.

Os pacientes vêm ao Centro em busca de diagnóstico e tratamento para sintomas. Muitas vezes confundidos com outras patologias, mas que não respondem aos tratamentos clássicos. Essas pessoas são encaminhadas por hospitais, unidades básicas de saúde, clínicas particulares, Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) ou procuram o ambulatório espontaneamente.

(Com assessoria)