Orquestra se apresenta com casa lotada

O secretário da Cultura Osni Ribeiro, o cônsul peruano Luís Felipe Isasi, o maestro Fernando Ortiz, o músico Franklin Ramos, o solista Ivan Marquina e o músico da OSMB GuilhermeDivulgação
O secretário da Cultura Osni Ribeiro, o cônsul peruano Luís Felipe Isasi, o maestro Fernando Ortiz, o músico Franklin Ramos, o solista Ivan Marquina e o músico da OSMB Guilherme

Com o Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci lotado, a Orquestra Sinfônica Municipal de Botucatu (OSMB) apresentou o Concerto de Piano nº 3, de Sergei Rachmaninoff, com o pianista peruano Ivan Marquina na segunda-feira (7). Na plateia, mais um convidado da terra natal do maestro da OSMB Fernando Ortiz: o cônsul Luís Felipe Isasi. “Foi uma surpresa. Eu recebi uma mensagem no dia avisando que ele viria, porque ele ouviu falar da obra, fiquei muito feliz”, conta Ortiz.

Ele completa que foi uma grande alegria estar no mesmo palco que Marquina, que foi um “reencontro emocionante”, ainda porque ambos foram alunos de Larissa Belotserkovskaia no Conservatório Tchaikovsky, em Moscou. Ortiz conta que foi ela que o incentivou para vir ao Brasil, há dez anos, quando ainda era maestro no Peru. “Tenho muito carinho porque estou no Brasil por ela, e compartilhar o palco com um aluno dela também foi emocionante”.

O maestro da OSMB também destaca a presença de pessoas de Piracicaba na plateia do teatro. “Eles vieram me cumprimentar depois do concerto e disseram que vieram para cá só para escutar a Sinfônica de Botucatu, e que a viagem valeu”, conta. “A Orquestra está criando laços com autoridades e visibilidade fora, e aqui não tem uma barreira entre a orquestra e o público, o que predomina é o companheirismo”, finaliza Ortiz, que também recebeu elogios de Ivan Marquina. “Ele disse que não será a última vez que se apresenta aqui, e que achou a orquestra fantástica”. (LF)