Moradora teme ficar ilhada em casa por causa de tantos buracos na rua

DSC04342Bruna Zechel | Diário Botucatu

Andréia de Jesus é moradora do Jardim Dona Marta há cerca de seis anos e, desde então, vem enfrentando um problema recorrente, os grandes buracos localizados na rua de sua casa em decorrência da falta de galerias e asfalto no local. Mãe de dois filhos e com marido deficiente físico, a moradora teme não conseguir mais sair de casa, já que com as chuvas as erosões têm ficado cada vez maiores.

Dentro do Jardim Dona Marta, a rua onde fica localizada a residência de Andréia chama-se Jorge Lopes Dionísio, mas o problema dos buracos se estende por outras vias próximas. A Rua Manoel Marques Marçal, por exemplo, além de dar acesso à casa de Andréia também possui um dos trechos mais esburacados do bairro.

A dona de casa explica que o local está muito abandonado e que as máquinas da prefeitura não dão manutenção nas vias há mais de três meses, fator que, somado à grande incidência de chuva dos últimos dias, fez com que a profundidade das erosões aumentasse ainda mais.

“Eles [responsáveis da prefeitura] até estavam mandando passar máquina, mas o cara [operador] passava com má vontade e na primeira chuva já saía toda a terra. Daí as pedras ficaram à mostra e muito lisas, o que piora ainda mais. Mas o maior problema são as erosões, se der mais uns dois temporais eu acredito que nós vamos ficar ilhados aqui”, lamenta.

A falta de cuidados na região tem afetado diretamente a qualidade de vida da família de Andréia, uma vez que a segurança dos filhos e o bem-estar do marido não são garantidos.

“A minha maior preocupação no momento é que meu marido é deficiente e tem problema de coração, então ele precisa ir ao médico e fazer tratamento constantemente. Mas vai ter um dia que nem ele nem eu vamos conseguir sair daqui”, explica a moradora. “Às vezes, eu subo a rua com as crianças e os carros têm quase que passar por cima de nós para desviar dos buracos, porque não tem meio fio e nem calçada, está impossível conviver com isso”.

Solução dos buracos é uma promessa do poder público municipal
DSC04331Bruna Zechel | Diário Botucatu
Andréia de Jesus é moradora do Jardim Dona Marta há cerca de seis anos e desde então vem enfrentando um problema recorrente

A moradora do Jardim Dona Marta, Andréia de Jesus, acredita que o escoamento da água é o primeiro ponto que precisa ser resolvido. “A solução é colocar galeria e asfaltar, só que eu ouço dizer que ali embaixo [onde é necessário fazer obras de escoamento] é área de preservação natural ou que tem dono e que não se pode jogar á água da galeria. Mas essa água tem que escoar para algum lugar”.

Ela aponta ainda que a promessa de pavimentação asfáltica no bairro já existe, mas que até se concretizar é preciso que o poder público auxilie os moradores proporcionando condições básicas de deslocamento.

“O [prefeito Mário] Pardini disse em uma entrevista na rádio que ele vai asfaltar, mas até lá nós precisamos de atenção e manutenção. Aqui é necessário passar galeria, fazer sarjeta, para só depois vir o asfalto, e eu acredito que agora, em época de chuva, ele não vai nem mexer com isso. Então são três meses ou mais que nós vamos ter que esperar. Nós até esperamos, mas eles precisam fazer alguma coisa para ir amenizando a situação”.

O vice-prefeito e atual secretário municipal de Infraestrutura, André Peres, foi procurado para dar o posicionamento da prefeitura quanto ao problema e informou que “já está programado para que as máquinas voltem a dar manutenção nas ruas do bairro a partir de hoje (12)”.

Peres disse ainda que as primeiras ações para instalação das galerias já estão sendo tomadas. “O problema é que é necessário fazer galerias que precisam passar por uma propriedade particular. Então nós já estamos conversando com o proprietário para ver o que pode ser feito. A nossa intenção é que consigamos resolver a situação ainda em 2017”.

A reportagem também encontrou muita dificuldade para chegar até a residência de Andréia por conta das más condições das vias.

Nem o ônibus da prefeitura escapou dos buracos

Buscando deixar claro que o problema das erosões do Jardim Dona Marta já dura muito tempo, Andréia de Jesus relembra um episódio envolvendo um ônibus ocorrido há alguns anos atrás. “Até o ônibus da própria prefeitura já ficou engasgado ali [na Rua Manoel Marques Marçal]. Foi preciso chamar o guincho para poder tirar o veículo da subida, porque ele ficava patinando. Desde então os ônibus descem e sobem, mas com dificuldade. Mesmo assim eu tenho medo, porque eu acho perigoso falhar um freio”.