ECONOMIA SOLIDÁRIA: PRODUTORES RURAIS E ARTESÃOS SE UNEM PARA COMERCIALIZAÇÃO E TROCA DE EXPERIÊNCIAS EM BOTUCATU

Através de uma associação, feiras são promovidas toda a semana, levando aos consumidores preços justos e produtos de procedência, que incentivam a agricultura familiar da cidade

Redação Diário | Diário Botucatu
CINTHIA SOUZA

Um conceito está surgindo na cidade o da economia solidária. Este termo e prática já existem há alguns anos na Europa e em grandes cidades brasileiras, e aos poucos vem ganhando o interior do estado. Em Botucatu, a economia solidária vem se firmando desde a criação do Arma-Zen, uma associação que reúne pequenos produtores rurais e artesãos da cidade e da região, com o objetivo de promover os produtos feitos e cultivados por essas pessoas, e ainda dar orientação de como melhorar as vendas e levar mais qualidade aos clientes.

A economia solidária é um novo formato de gestão, em que o associativismo é o ponto chave. Não existem patrões ou empregados, mas sim pessoas que se unem para melhorar seu sistema de produção, trocarem experiências, e assim conseguirem melhores resultados.

O meio ambiente é outro ponto importante, já que tudo que é produzido através da economia solidária leva em consideração o modo de produção de produto ou alimento. Quem participa de associações de economia solidária está alinhado a agricultura familiar, ou seja, pequenos produtores que utilizam formas de produzir sem agredir ao meio ambiente.

“Os produtores rurais familiares e os artesãos muitas vezes não tem onde mostrar os seus produtos e por isso acabam perdendo em vendas. Sozinho é muito difícil e através da associação, essas pessoas tem um espaço fixo onde deixaram a mostra o que elas fazem, e assim poderão aumentar as suas rendas”, explicou Beatriz Stamato, diretora do Instituto Giramundo e uma das idealizadoras da associação.

No Arma-zen são vendidos produtos de hortifrúti orgânicos e produzidos através da agricultura familiar. Já os artesanatos também tem uma linha ecológica e são elaborados conforme o conceito de sustentabilidade. “O que as pessoas encontram aqui é um produto que foi feito ou cultivado sem o uso de maquinários ou produtos químicos. Ou seja, tudo foi ecologicamente pensado e feito. A pessoa que compra um destes produtos estará ajudando uma família, que muitas vezes não tem recursos e precisa da venda para sustentar sua família”, afirmou Beatriz.

A associação já existe há dois meses e para incentivar ainda mais a comercialização dos produtos, todas as terças-feiras é realizada uma feira com todos os associados. Ao todo são 21 pessoas, entre produtores rurais e artesãos, que levam seu trabalho a população.

“Também promovemos a troca de experiência. Os associados quem chegam até nós recebem orientações de como melhorar a exposição de seus produtos, dicas de como produzir de forma mais rentável e assim todos se ajudam”, explicou Beatriz.

A produtora Keila Ricardo Francisco foi uma das associadas que notou a vantagem de se unir para melhorar os rendimentos. “Para mim foi importante porque consegui valorizar o meu produto. Através da associação eu tenho tido orientação sobre produtos vegetarianos, veganos e orgânicos, o que vai melhorar ainda mais meu faturamento”, destacou a produtora.

 

 

Feira semanal do Arma-zen

Às terças-feiras das 9 às 15 horas na rua Cardoso de Almeida, 1206 – Centro.

Informações: 99842-1125 ou pelo Facebook: www.facebook.com/ArmaZenAgroecologico/

Veja também: