Comércio está animado para saque do FGTS

Dinheiro extra deve movimentar a economia da cidade e recuperar vendas baixas dos últimos meses

Nesta sexta-feira (10) já tem gente sacando o dinheiro das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), um dinheiro extra que ninguém esperava receber e que está sendo muito comemorado, não só por quem saca, mas também pelo comércio. Em Botucatu, a estimativa é que quase 10 mil pessoas tenham dinheiro em contas inativas do FGTS, um montante que deve chegar a mais de R$ 15 milhões.

Caixa divulga calendário de saques do FGTS inativo de 2017

Sidney Trovão
Presidente do Sincomércio, Fátima Baldini, está animada com saque do FGTS

Com a crise econômica, o poder de compra diminuiu e as lojas do centro de Botucatu sentiram diretamente o impacto, tendo queda nas vendas e inadimplência. Segundo dados da ACE/DCL (Associação Comercial e Empresarial / Câmara de Dirigentes Lojistas), a inadimplência na cidade chega a R$ 7 milhões e a expectativa é que com o FGTS boa parte desta dívida seja quitada.

Para a presidente do Sincomércio, Fátima Baldini, as pessoas devem não apenas pagar contas, mas também comprar no comércio. “Sabemos da intenção de pagar contas. Mas com certeza, depois que pagar suas dívidas, elas devem voltar ao comércio para comprar. Isso será muito bom, porque iremos ter uma movimentação na economia e o comercio voltará a se recuperar, afinal o calendário de pagamento deve durar três meses”, afirma Fátima.

Sidney Trovão
Joel já preparou a loja com promoções para receber clientes

E tem comerciante realmente pensando nisso. O gerente Joel Kenji Suguimoto já preparou promoções e preços atrativos para chamar os clientes para sua loja. “Quanto mais dinheiro as pessoas tiverem, melhor. A gente sabe que se sobra dinheiro, elas vêm e compram, por isso já estamos esperando. Já estamos fazendo promoções, fazendo agrado aos clientes, pensando em cativá-los para conseguir vender mais neste período”, salienta.

Aliás, a redução de preços e facilidade de pagamento vem sendo uma estratégia bastante usada pelas lojas. “Nós não padronizamos uma ação para este período do FGTS, mas o que sabemos é que tem muito lojista com estoque parado e que vai baixar o preço para poder vender. Então esse será um período muito positivo para essas pessoas que estão com dinheiro no bolso”, afirma Fátima Baldini.