Atividades da Campanha da Fraternidade já estão sendo realizadas em Botucatu

Membros da igreja e da área de ciências biológicas comentam a escolha do tema deste ano: “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”

Divulgação
Cartaz da Campanha da Fraternidade deste ano

A Campanha da Fraternidade de 2017 foi lançada na semana passada, no dia em que a comunidade católica celebra a Quarta-feira de Cinzas. A inciativa, que se repete todos os anos e é vivenciada principalmente durante o período de Quaresma, este ano tem como tema a “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”. Em Botucatu, algumas atividades pertencentes a campanha já estão sendo realizadas. O principal intuito é a promoção da luta em favor da solidariedade e da fraternidade através da abordagem de um tema atual e relevante.

O coordenador arquidiocesano da Campanha da Fraternidade, Jairo do Amaral, conta quais atividades já estão em andamento. “No dia 4 de março ocorreu o Encontro de Capacitação da Arquidiocese, no Colégio Santa Marcelina. Na ocasião nós reunimos quatro regiões pastorais da Arquidiocese: Botucatu, Avaré, Laranjal Paulista e Lençóis Paulista. E no dia 21 de março, às 19h, será realizada uma Audiência Pública na Câmara Municipal de Botucatu. Paralelamente a esses eventos as paróquias estão realizando encontros e debates sobre o tema da campanha e estão organizando a Caminhada Ecológica, que tem como objetivo a tomada de consciência da inter-relação entre o ser humano e a natureza”, afirma.

Segundo o coordenador, mesmo se tratando de uma manifestação essencialmente católica, a participação da população em sua integralidade, se faz muito importante. “A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) discute os temas com o CONIC (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil), mas eles sempre são de interesse de todas as pessoas. Todos nós precisamos de água potável, oxigênio, clima e solo, pois não existem no planeta fábricas de água ou de oxigênio. Portanto, todos podem, e devem, participar da Campanha da Fraternidade 2017. A coordenação está aberta para os que desejam participar ativamente. Os interessados podem entrar em contato através do número de telefone (14) 99718 4757 que teremos o prazer de recebê-los para, juntos, trabalharmos nesta missão”, diz.

A importância do tema da campanha nas palavras do Papa

Sidney Trovão
“Todos podem, e devem, participar da Campanha da Fraternidade 2017”, esclarece o coordenador arquidiocesano, Jairo do Amaral

“Em sua mensagem, o Papa Francisco convida-nos a renovar o diálogo sobre os sofrimentos que afligem os pobres e a devastação do meio ambiente. Ele afirma que Deus nos deu de presente um exuberante jardim, mas estamos a transformá-lo em uma poluída vastidão de ruínas, desertos e lixos. Ele nos alerta para não nos rendermos ou ficarmos indiferentes perante a perda da biodiversidade e a destruição dos ecossistemas, muitas vezes provocadas pelos nossos comportamentos irresponsáveis e egoístas”, justifica o coordenador arquidiocesano, Jairo do Amaral.

Para biólogo, escolha do tema da campanha “representa um grande passo em direção ao uso sustentável do planeta”

Arquivo Pessoal
Thiago Elias da Silva:“É legal ver que a visão da Igreja está ampliando e não focando somente no ser humano”

A escolha do tema “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”, mesmo pertencendo a vertente religiosa, inevitavelmente tange a área biológica. Neste sentido, o biólogo Thiago Elias da Silva estabelece alguns apontamentos a respeito da escolha.

“Eu acredito que fazer dos biomas o tema de uma campanha nacional, como a Campanha da Fraternidade, é muito importante. Isto representa um grande passo em direção ao uso sustentável do planeta. Todos nós sabemos a influência das religiões nas ações humanas. E uma vez que toda a comunidade se mobiliza e volta os olhos para o ambiente, isto aumenta as esperanças de boas mudanças neste sentido. É legal ver que a visão da Igreja está ampliando e não focando somente no ser humano. Isto indica que estamos deixando de olhar apenas para nós mesmos e percebendo que a verdade é que o homem é apenas um entre milhões de componentes do planeta”, afirma.

Relembre os temas de algumas edições anteriores da Campanha da Fraternidade

De acordo com o coordenador arquidiocesano da Campanha da Fraternidade, Jairo do Amaral, “A campanha foca-se principalmente no período quaresmal, mas ela continua durante todo o ano litúrgico. A conscientização e o trabalho são indeterminados”. E por ser um trabalho contínuo, Jairo relembra alguns dos temas já abordados pela campanha em outros anos justamente para mostrar que eles estão ligados ao que está sendo abordado em 2017, conforme indica a relação abaixo:

1979 -“Por um mundo mais humano” – Preserve o que é de todos

1986 – “Fraternidade e a Terra” – Terra de Deus e terra dos homens

2004 – “Fraternidade e a Água” – Água, como fonte de vida

2007 – “Fraternidade e Amazônia” – Vida e missão neste chão

2011 – “Fraternidade e a vida no planeta” – A criação geme em dores de parto

2016 – “Casa comum, nossa responsabilidade” – Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca

“Todos os biomas possuem características únicas”

“O bioma Amazônia compreende cerca de 50% do território brasileiro, enquanto o Pampa compreende algo em torno de 2%. Com esta informação parece que o Pampa está mais ameaçado do que a Amazônia, porém isto não é verdade. A taxa de desmatamento e a biodiversidade da Amazônia são tão altas que a faz mais ameaçada do que os pampas. Mas todos os biomas possuem características únicas, tanto vegetais quanto animais. Então qualquer um deles que se perdesse, seria uma perda única”, aponta o biólogo Thiago Elias da Silva.

Veja também: