Doação de sangue: conheça todos os passos para se tornar um doador

Equipe do Hemocentro acompanhou o Diário em um tour e explicou o que acontece em cada etapa da doação de sangue

Em comemoração ao Dia Nacional do Doador de Sangue Voluntário, a ser comemorado na próxima sexta (25), o Diário está trazendo nesta semana informações sobre a doação de sangue, desde os dados o Hemocentro, também a importância de se tornar um doador e outros fatos sobre este gesto tão nobre e importante. Na terceira reportagem desta série, é hora de explicar o passo a passo da doação e desmistificar alguns “medos” de quem nunca doou sangue.

Para explicar tudo sobre o funcionamento do Hemocentro do Hospital das Clinicas, o diretor da unidade, Silvio Naves, junto com a farmacêutica e biomédica, Gislene de Oliveira, acompanharam nossa equipe pelas sete etapas de uma doação. Confira:

 

1º PASSO: o cadastro

É obrigatória a apresentação de documento com foto antes da doaçãoSidney Trovão
É obrigatória a apresentação de documento com foto antes da doação

Logo que o candidato a doação de sangue chega ao Hemocentro, ele é direcionado à recepção. Nesta fase, é realizado o cadastro de quem nunca doou ou a atualização de informações dos antigos doadores. Em sua primeira doação, o candidato a doação deve levar sempre consigo um documento com foto e comprovante de residência. Já nas demais vezes, a equipe irá confirmar essas informações, assim como um telefone de contato da pessoa. “Para segurança do procedimento todo, toda vez que o doador vem até o hemocentro, é tirada uma foto dele. E depois da confirmação de todos os dados, é emitida um tipo de carterinha com um código de barras que vai acompanhá-lo até o final da doação de sangue”, explica Silvio.

 

2º PASSO: Higiene Hematológica

Teste da anemia é o primeiro para checar a saúde do doadorSidney Trovão
Teste da anemia é o primeiro para checar a saúde do doador

Depois do cadastro, o candidato vai para a higiene hematológica em que realiza um teste rápido de anemia, onde é feito um pequeno furo em um dos dedos e colhido uma pequena quantidade de sangue. Essa amostra é colocada em uma máquina e em menos de 5 minutos emite o resultado sobre os níveis de hemoglobina. “Caso o resultado esteja baixo, nós já orientamos o paciente que ele não está apto a doar e, em seguida, já o encaminhamos para exames e um acompanhamento médico aqui no HC mesmo”, explica Gislene

 

3º PASSO: pré-triagem

Pressão arterial e pulso são aferidosSidney Trovão
Pressão arterial e pulso são aferidos

Tudo certo com o sangue, é hora de testar a pressão arterial e a pulsação. “Se o paciente está com a pressão alta, esperamos alguns minutos e aferimos novamente. Se continuar alta ou baixa demais, a doação não é autorizada para a própria segurança do doador”, afirma Gislene.

 

 

 

 

4º PASSO: triagem – entrevista

Esta é uma das partes mais importantes do processo de doação de sangue. Através de uma entrevista com o candidato, os profissionais do Hemocentro vão poder avaliar se esta pessoa pode ou não se tornar um doador de sangue. Algumas pessoas ficam constrangidas com as perguntas feitas, já que é preciso saber a rotina sexual do candidato e outros hábitos de vida. “Aqui o doador precisar ser o mais sincero possível para garantir a segurança transfusional. Temos que perguntar sobre rotina sexual, homossexualismo, se fez tatuagem recente. As pessoas acham um pouco exagerada essa entrevista, mas é tudo para a segurança do sangue”, diz Silvio.

Aqui é importante ser sincero e não omitir respostasSidney Trovão
Aqui é importante ser sincero e não omitir respostas

Caso o candidato não se enquadre nos requisitos exigidos para ser um doador de sangue, ele é barrado nesta etapa. “Tem gente que está fazendo usos de medicamentos e não sabia que não é permitido. Ou então não se alimentou direito ou teve uma refeição muito pesada antes da doação. Estes são fatores que influenciam na qualidade do sangue, por isso temos que perguntar e, no caso da dúvida, recusar o doador naquela ocasião”, completa Silvio.

É nesta etapa que também é determinada a quantidade de sangue a ser colhido de cada doador. Segundo critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde, o peso do doador influencia diretamente no volume da coleta. Só é permitido retirar 8ml de sangue por quilo para as mulheres; e 9ml de sangue por quilo para os homens. “Até por isso que é determinado que o doador tenha no mínimo 50 quilos. A bolsa tem capacidade de armazenar entre 400 e 500 mililitros de sangue. Se colocarmos o exemplo de uma mulher de 50 quilos, ela poderá captar 400 ml”, explicou Gislene.

 

5º PASSO: doação 

Depois que o candidato é avaliado como apto nas demais etapas, chega, enfim, a doação. O procedimento é feito em macas e não leva mais do que 10 minutos. É este passo também que a maioria das pessoas têm medo. Pensar no calibre da agulha espanta muitos doadores. “A agulha é grossa, mas o procedimento não é nada bruto. Ela consegue perfurar a pele sem machucar. Tanto é que muitas pessoas que chegam nesta etapa com muito medo, saem falando que a agulha do teste de anemia é mais dolorida do que a da doação em si. É só uma questão de medo e mito”, salienta Silvio.

Toda a coleta é rápida e agulha não doe tanto assimSidney Trovão
Toda a coleta é rápida e agulha não doe tanto assim

Além da bolsa de sangue, também é colhido do paciente amostras de sangue para a realização de exames. “Não fazemos hemogramas. Isso precisa ficar bem claro. Já ouvimos de pessoas, que só vêm doar sangue para saber níveis de diabetes, colesterol ou até HIV mesmo. Não fazemos nada disso. O sangue retirado é para exames relacionados a própria doação, para identificar possíveis fatores que possam apontar problemas com o sangue”, afirma o diretor do Hemocentro.

 

6º PASSO: voto de confiança

Doador pode cancelar a doação caso ache necessárioSidney Trovão
Doador pode cancelar a doação caso ache necessário

Depois de colher seu sangue, o doador é convidado a ir até a cabine do “voto de confiança”. Ali, ele coloca o código de barras que recebeu na recepção, onde estão salvos seus dados, e vota se o seu sangue é confiável ou se ele omitiu alguma informação durante a entrevista. “Está é a última chance de se arrepender caso tenha mentido. O que acontece em determinadas situações é o doador passar pela entrevista, ficar com vergonha de falar se praticou sexo sem proteção, por exemplo. Mas aí essa omissão pesa tanto que ele vem aqui e declara que seu sangue não é confiável. Quando a pessoa vota no “não”, nós temos que descartar totalmente a bolsa colhida”, explica Gislene.

 

7º PASSO: lanche

O mais importante é se hidratar para ter uma recuperação mais rápidaCinthia Souza | Diário Botucatu
O mais importante é se hidratar para ter uma recuperação mais rápida

Após a doação, é hora de se alimentar. Na lanchonete do Hemocentro o doador recebe um kit com lanchinho, suco e uma fruta. Também tem bolacha e suco à disposição. “A hidratação é mais importante após a doação. Quanto mais a pessoa se hidrata, mais rápido o sangue será reposto”, salienta Silvio.

 

 

 

Todo o processo de doação de sangue não leva mais do que 30 minutos, caso não haja fila de espera. O importante é encontrar um espaço na rotina para se tornar um doador. A doação pode acontecer a cada 3 meses para homens e a cada 4 meses para mulheres. As pessoas que forem doar sangue durante o expediente de trabalho têm direito de um dia de folga, com atestado médico emitido pelo Hemocentro.

Para doar, basta ir até o Hospital das Clínicas de Botucatu, no Distrito de Rubião Júnior, de segunda a sexta-feira, das 8 às 16 horas, e aos sábados, das 7 às 12h30.