Universitários apresentam projetos em nova fase do Desafio Empreenda Botucatu

As equipes selecionadas seguem para próxima fase da iniciativa que incentiva a produção e abertura de negócios próprios

O “Desafio Empreenda Botucatu” tem como principal objetivo estimular os alunos das universidades da cidade a produzir seus próprios projetos de negócios. A iniciativa tem total apoio do Sebrae e vem sendo realizada desde o mês de agosto. Na tarde de sexta-feira (18) o desafio concretizou mais uma fase e selecionou 10 dos 12 projetos apresentados. Para os alunos participantes, a oportunidade pode tornar suas ideias de pequenas empresas uma realidade.

No total, 34 projetos estavam previstos para serem apresentados para a banca avaliadora, mas em decorrência da insegurança de alguns grupos, esse número foi reduzido para 12 equipes, das quais 10 saíram selecionadas.

Pedro Ferreira aproveitou as oficinas, workshops e palestras do “Desafio Empreenda Botucatu” para dar uma direção à sua ideiaSidney Trovão
Pedro Ferreira aproveitou as oficinas, workshops e palestras do “Desafio Empreenda Botucatu” para dar uma direção à sua ideia

Para o aluno do quarto ano do curso de medicina veterinária da Unesp, Pedro Ferreira, participar das atividades propostas pelo “Desafio Empreenda Botucatu” o ajudou a dar continuidade em sua ideia de fazer a venda de sêmen bovino, através de uma plataforma digital.

“Eu tive essa ideia antes mesmo de ter a oportunidade de participar do desafio, mas como eu não tinha como desenvolver o projeto, ficou por isso mesmo. Entretanto, quando surgiu a oportunidade eu aproveitei e por meio das oficinas, dos workshops e das palestras, consegui dar uma direção ao que antes era uma ideia e hoje já se tornou um projeto que eu espero que siga em frente e se constitua uma empresa realmente”, afirma.

Ao contrário de Pedro, o graduando do primeiro ano do curso de engenharia de bioprocessos e biotecnologia da Unesp de Botucatu, Fábio Moreira, a ideia para elaborar seu próprio negócio surgiu apenas após ele ter contato com as atividades do Desafio. “Antes de ter contato com o Sebrae e com a palestra que eles deram na Unesp eu não tinha nem ideia de fazer algo assim. Depois que eu tive contato a cabeça começou a funcionar e o mundo se tornou um lugar diferente”, relembra.

“Meu projeto nada mais é do que um meio de diminuir os gastos no final do mês com a conta de luz”, diz Fábio Moreira, graduando de engenharia de bioprocessos e biotecnologia da UnespSidney Trovão
“Meu projeto nada mais é do que um meio de diminuir os gastos no final do mês com a conta de luz”, diz Fábio Moreira, graduando de engenharia de bioprocessos e biotecnologia da Unesp

Além da maneira inusitada com que Fábio concebeu a inspiração para o tema de seu projeto, ele comenta suas principais características.

“Meu projeto nada mais é do que um meio de diminuir os gastos no final do mês com a conta de luz. Eu tive a ideia enquanto estava tomando banho. Então eu e o restante da equipe estamos trabalhando num protótipo de resistência elétrica para substituir a resistência atual do chuveiro. Começaremos com o chuveiro e depois passaremos para resistências de outros materiais também”, explica.

Fábio conta ainda que além de sua participação estar sendo uma experiência gratificante, as expectativas com o futuro do projeto são otimistas. “Ter essa experiência já valeu a pena, mas a gente também quer levar isso à frente e abrir a empresa mesmo. Eu espero que nós consigamos chegar até o fim e tornar esse projeto uma realidade, tornar a empresa uma realidade”, conclui.

Veja também: