SANTANDER 2 X 1 BRADESCO: O PLACAR DOS “ASSALTOS” DA REGIÃO NA RODADA DO FIM DE SEMANA

Dois suspeitos foram presos, mas não existem informações oficiais sobre o valor levado nos três assaltos e nem se parte do dinheiro foi recuperado

Divulgação
Pardinho (SP) – A cidade que, fica apenas a 20km de distância de Botucatu conta com uma pequena base da polícia militar – que também foi alvo de um forte ataque. Marcas de 15 tiros de fuzil foram identificadas nas paredes da base polícia.

As madrugadas de sábado para domingo tem sido fortes quando se trata de violência na região de Botucatu. Duas agências do Banco Santander e uma do Bradesco foram assaltadas em duas ações com quadrilhas e métodos diferentes em menos de 12 horas.

Neste final de semana, as surpresas começaram logo no sábado à tarde, no entorno da Rua Tenente João Francisco, no tradicional bairro da Vila dos Lavradores, em Botucatu (SP), onde aconteceu um roubo a uma agência do banco Santander.

Segundo a polícia, dois assaltantes entraram na agência (que estava fechada) pela parte de trás, arrebentando portas, paredes, grades e vidros de proteção até conseguirem ter acesso ao cofre. Um outro comparsa – identificado pelas câmeras de segurança – teria ficado do lado de fora. Nem a polícia nem a agência divulgaram detalhes sobre o valor levado pelos ladrões.

A polícia da região ainda estava se mobilizando e tomando pé da situação, quando chegam informações de que outras duas agências bancárias (uma do Bradesco e a outra do Santander) haviam sido atacadas no município de Pardinho.

A madrugada de sábado (4) para domingo (5), foi de pânico no pequeno município, com pouco menos de 6 mil habitantes, um dos lugares mais pacatos da região de Botucatu (SP). Explosivos, tiros de fuzis e outras armas de fogo amedrontaram a população, que acordou assustada.

Dezenas de assaltantes invadiram a cidade com o claro objetivo de levar o dinheiro que estivesse disponível nas duas agências bancárias que servem o município: uma do Santander e outra do Bradesco. No ataque, metralharam a Base da PM – que resistiu bravamente, apesar da inferioridade em número – mas não conseguiu impedir que a quadrilha concretizasse os assaltos que havia planejado.

A polícia acredita que a ação dos bandidos foi uma grande operação organizada com muita antecedência e que, provavelmente, eles tinham informações sobre o volume de dinheiro que estaria nas agências por conta do feriado prolongado – e da proximidade do dia de pagamento da maioria das empresas e da própria prefeitura do município – que começam a ser creditados por volta do dia 5.

Os três PMs que estavam de plantão fazendo a segurança da cidade pediram reforço, resistiram bravamente e ninguém ficou ferido. Depois da fuga dos bandidos diversos cartuchos usados ficaram espalhados pelo chão no trajeto feito pelos criminosos.

Quando o reforço chegou os policiais partiram para as buscas, conforme as testemunhas foram indicando o caminho por onde a carreata dos assaltantes foi se dispersando em diversas direções.

Alguns veículos da quadrilha dirigiram para a estrada municipal que liga Pardinho à Rodovia Marechal Rondon, outros se embrenharam por estradas de terra chegando à rodovia Gastão Dal Farra por dentro do Bairro Demétria e também a acessos em outras direções, como a rodovia Castelinho, que dá acesso a Botucatu e a rodovia Castelo Branco, no sentido São Paulo (SP).

Na perseguição, vários maços de dinheiro também caíram dos veículos em fuga. Ainda durante a madrugada dois veículos, dos mais de dez veículos utilizados pelos bandidos na ação, foram encontrados abandonados: um Renault Fluence e um Jeep Compass, que foram recolhidos para ser periciados.

DOIS SUSPEITOS PRESOS
Na madrugada da última segunda-feira (6), uma ação rápida da polícia, após receber uma denúncia anônima, acabou provocando a prisão de dois suspeitos de participação no assalto aos bancos de Pardinho. Os dois foram encontrados em uma chácara que fica entre a zona urbana de Pardinho e o Bairro Rural Demétria, em Botucatu. No local foram encontradas armas e algumas cédulas de dinheiro picado e queimado, que indicariam a participação dos dois homens na ação criminosa.