Programa Acessa SP recebe 2.500 acessos por mês

Dos cinco postos do programa existentes na cidade, o de Rubião Júnior é o que tem mais movimento, atende cerca de 50 pessoas por dia

Sidney Trovão
Pâmela Pires Ferreira (ao fundo) utiliza os computadores do Acessa SP para fazer seus trabalhos escolares mas também não abre mão de dar uma olhadinha no Facebook

O Acessa SP é um programa do governo do estado de São Paulo que visa promover a inclusão digital. Através dele as pessoas podem procurar um posto de atendimento e acessar a internet de maneira gratuita. Serviços de impressão de boletos e elaboração de currículos também são realizados. Em Botucatu, o programa possui cinco postos de acesso: Poupatempo, Casa do Cidadão, Subprefeitura do Distrito de Rubião Júnior, Subprefeitura de Anhumas e o CRAS leste. Segundo o secretário de Participação Popular, André Rogério Barbosa (Curumim), ao todo são 26 computadores que recebem cerca de 2.500 acessos por mês.

Das cinco unidades de atendimento do Acessa SP no município, a que possui maior número de acessos é a da subprefeitura do Distrito de Rubião Júnior. O local também conta com o maior número de computadores: 11 máquinas. O subprefeito, Leandro Martins explica o motivo do alto número. “Nós não sabemos ao certo o número de pessoas cadastradas na nossa unidade, mas, por dia, cerca de 50 pessoas utilizam o Acessa. Eu acho que o uso na nossa unidade é maior porque a população daqui não tem a inclusão digital e nem uma Lan house próxima. E muita gente vem imprimir boletos, vem gente até do [Bairro Residencial] Caimã imprimir, porque lá o correio ainda não consegue chegar. Tanto é que esse é o serviço que mais sai, seguido da impressão de currículos, que também teve bastante saída em janeiro e fevereiro”.

Sidney Trovão
Segundo Leandro Martins cerca de 50 pessoas utilizam o Acessa SP na unidade de Rubião Júnior por dia

Segundo Martins, todos os usuários cadastrados no sistema do Acessa SP possuem o direito de imprimir três cópias, sejam boletos, currículos ou qualquer outro documento disponível na Internet. Também podem ser acessados todos os tipos de sites, menos os pornográficos, que são bloqueados. Esse cuidado com os sites existe justamente porque os principais usuários são jovens.

“A idade mínima para uso é de 12 anos, mas as pessoas que mais utilizam a nossa unidade são jovens na faixa etária dos 13 aos 25 anos. Por isso é necessário fazer um cadastro com nome e RG de todos, para que o pessoal tenha o controle mesmo lá de São Paulo. Além deste cadastro nós também solicitamos que os usuários em idade escolar tragam uma declaração da instituição, justamente para que eles não matem aula para ficar utilizando os computadores do Acessa”.

 

Em Botucatu, oito pessoas conseguiram vagas de emprego através do Acessa SP

Além de conceder a impressão dos currículos, os monitores do programa Acessa SP também ajudam as pessoas a montarem seus currículos. Na subprefeitura do Distrito de Rubião Júnior, esse auxílio foi ainda mais longe. “Nós temos um quadro onde ficam expostas as vagas de emprego disponíveis, e muitas delas exigem que os currículos sejam enviados por e-mail. Então mesmo as pessoas que não sabem mexer no computador podem vir aqui que os monitores enviam o e-mail para que elas possam concorrer à vaga. Nós já conseguimos bastante vagas, de três meses para cá oito pessoas conseguiram emprego”, comemora o subprefeito do Distrito de Rubião Júnior, Leandro Martins

 

Quem utiliza, não fica sem

Sidney Trovão
Tayla Russo da Silva afirma que auxílio das monitoras do programa em sua busca por emprego tem sido muito bom

Tayla Russo da Silva tem 18 anos e usa um dos computadores do Programa Acessa SP quase todos os dias, ela comenta como este uso interfere em sua vida. “Eu sei que aqui [posto de Rubião Júnior] eu posso acessar a Internet livremente e fazer meu currículo, então eu sempre fico procurando vagas de emprego que as monitoras me indicam. Esse auxílio que elas dão tem sido bom para mim”.

E se para uns as vagas de emprego são o principal foco, para outros, o acesso à Internet através do programa pode auxiliar nos estudos ou até mesmo nos momentos de lazer, como é o caso de Pâmela Pires Ferreira, de 14 anos. “Eu venho todos os dias [no posto de acesso] e uso o computador principalmente para fazer trabalhos da escola, mas também para mexer um pouquinho no Facebook (risos)”.