Para ser feliz é preciso pouco: um sorriso no rosto, um abraço apertado

Exposição fotográfica mostra em ações simples, a alegria que podemos encontrar todos os dias

Rede de Proteção à Vida realizou diversas atividades no mês de setembroSidney Trovão
Rede de Proteção à Vida realizou diversas atividades no mês de setembro

Durante o mês de setembro ocorre uma campanha mundialmente importante: Setembro Amarelo que visa à prevenção do suicídio. Em Botucatu, a Rede de Proteção à Vida programou diversas atividades para alertar, trazer conhecimento e reflexão sobre o assunto. Botucatu possui índices preocupantes de suicídios. A média no município é o dobro da média nacional registrada.

“Nós iniciamos a campanha no dia 28 de agosto com um concurso de redação nas escolas. O tema é “O que me faz feliz?”, o primeiro foco dessa ação é premiar as melhores redações, mas o segundo é conseguir identificar através do texto , as crianças que podem apresentar problemas emocionais, hoje em dia não temos nenhum dado nesse sentido e essa foi uma forma de entendermos e nos aproximarmos dessas crianças. A premiação será realiza da em outubro”, conta Silvânia Giandoni,  idealizadora da Rede.

Ainda dá tempo de conferir a exposição fotográfica “O que me faz feliz” no Shopping Botucatu até o dia 30 de setembro.  A fotógrafa responsável é a Malu Ornelas. “A exposição vai ficar aberta até o dia 30 de setembro e a nossa ideia era justamente mostrar coisas simples, do dia a dia que nos faz feliz. Fazendo coisas que nos deixem felizes não queremos morrer. Essa exposição é justamente para as pessoas olharem e se enxergarem nessas situações”, afirma Silvânia.

O que me faz feliz é o tema da exposição produzida pela fotógrafa Malu OrnelasSidney Trovão
O que me faz feliz é o tema da exposição produzida pela fotógrafa Malu Ornelas

Malu conta que o mais importante nessa mostra é captar a essência de cada pessoa. “Nós procuramos registrar as pessoas em momentos que elas se sentissem bem, a vontade com aquela situação. Nós buscamos exemplos de como ser feliz na simplicidade, com as coisas que estão ao seu alcance. São coisas do dia a dia que precisam ser valorizadas”, destaca.

Para chegar até as fotos selecionadas para a exposição foi um longo trabalho. “Eu percebi que muitas vezes as pessoas pareciam ter vergonha de mostrar que elas são felizes fazendo coisas simples”, relata Malu.

Mais do que admirar as fotografias, Malu conta que espera que o público se questione: ”o que me faz feliz de verdade”. “Acho que vai haver muita identificação, mas outras pessoas vão dizer que o que faz elas felizes não está retratado aqui nessa exposição e isso é muito bacana. O importante é fazer as pessoas pensar, refletir e com isso se dar conta que é preciso dar mais atenção à família, aos amigos, para as pessoas que estão próximas”, destaca Malu Ornelas.

As fotografias estão expostas em painéis de madeira produzidos por João Colino. “Como a intenção de tudo isso é que não deixemos a vida se perder, todo o material que eu utilizei aqui é reciclável, é material que iria para o lixo. A ideia de fazer o painel de reciclagem surgiu porque o custo é zero, e você consegue reaproveitar aquilo que iria para o lixo e fazer algo muito bonito”, destaca Colino.