“Nós vamos invadir Brasília”

Caravana com trabalhadores de Botucatu está na capital federal para participar de protesto nacional contra as reformas trabalhistas e da previdência, além do governo de Michel Temer

Por Cínthia Souza

Trabalhadores dos sindicatos dos Metalúrgicos, Servidores Públicos Municipais e Trabalhadores Rurais saíram no meio da tarde de ontem em caravana rumo à Brasília. Segundo os organizadores, quarenta pessoas fazem parte do grupo que irá se juntar com mais de 100 mil manifestantes de todo o país para protestar contra as reformas trabalhistas e da previdência social, além de pedir a saída de Michel Temer do governo.

Assessoria Sindicato
“Nós vamos invadir Brasília”, disse Miguel antes de embarcar rumo a capital nacional

O protesto já estava agendado para acontecer nesta quarta-feira (24), dia em que as reformas iriam para votação no congresso, mas com os escândalos políticos da última semana, o intuito do protesto foi ampliado. “Nós queríamos fazer um protesto contra as reformas, mas nem sabemos mais se essas reformas de fato vão para votação. Mesmo assim nós vamos invadir Brasília porque precisamos ser ouvidos. Nos últimos dez anos nós tínhamos um diálogo acessível com o Governo e agora perdemos isso. Não podemos deixar que eles decidam as coisas sem nos dar ouvidos. Vamos fazer o que for preciso para a classe trabalhadora seja ouvida”, explicou Miguel Ferreria, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Botucatu, antes de embarcar para Brasília.

assessoria sindicato
Para Serafim, manifestação ganha força por ser em Brasilia, o “olho do furacão”

Ainda segundo o presidente, os escândalos políticos fizeram com que a manifestação em Brasília ganhasse força e mais pessoas aderissem. “Em 40 anos de atuação no sindicato eu nunca vi as pessoas tão engajadas e querendo se manifestar. E tem que ser assim, senão não vamos conseguir nada e os políticos vão querer o que eles querem. Somos nós, os trabalhadores, que levamos o país nas costas, sustentando meia dúzia de empresários, e em contrapartida recebemos isso. Não dá”, protestou Miguel.
Para o presidente do Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais, Serafim Arruda, o protesto ganhou força com os escândalos políticos da última semana. “A crise é só um pano de fundo para tudo o que pode acontecer. A questão do desemprego, da crise, das dificuldades econômicas. Tudo isso piora e não podemos ficar de braços cruzados”, salientou Serafim.
O sindicalista ainda ressaltou que a manifestação em Brasília ganha ainda mais notoriedade. “Brasília é o olho do furacão e por isso nada melhor do que estar lá. Esta é a vantagem da democracia, o trabalhador tem direito de manifestar sua opinião e mostrar que não está satisfeito”, completou Serafim.
A caravana de Botucatu deve chegar a Brasília às 8 e ficar o dia todo participando de manifestações na capital nacional. O ônibus com os trabalhadores deve retornar a Botucatu às 20 horas na quarta.