Forças sindicais de Botucatu se reúnem para protestar contra reforma da previdência

Passeata será promovida no próximo sábado (8), no centro de Botucatu, e tem como objetivo entregar abaixo-assinado a políticos da cidade

Sidney Trovão
Até agora foram colhidas mais de oito mil assinaturas em protesto pela reforma da previdência

No próximo sábado (8), seis sindicatos de Botucatu promoverão uma passeata pelo centro da cidade para protestar contra a reforma da Previdência Social aprovada pelo Governo Federal.

A concentração será às 10 da manhã na praça do Bosque, onde os sindicalistas também colherão assinaturas de quem participar. Após isso, haverá uma passeata que descerá a rua Amando de Barros até a Praça do Paratodos, e depois seguirá pela Rua João Passos até a Câmara Municipal, onde um abaixo-assinado com mais de oito mil assinaturas será entregue aos políticos da cidade. Por enquanto estão confirmadas a participação do Presidente da Câmara, Izaias Colino, e do prefeito Mário Pardini.

“A situação do país é muito difícil e precisamos fazer alguma coisa. Já foi aprovada a lei da terceirização que prejudica os trabalhadores, agora a reforma da Previdência, que quer que os trabalhadores nunca se aposentem. Não podemos ficar parados, temos que mostrar nossa indignação”, afirmou José Luiz Fernandes, diretor do Sindicato da Construção Civil de Botucatu.

Sidney Trovao
José Luiz defende que participação da população é importante

Ainda de acordo com o sindicalista, este é o segundo abaixo-assinado realizado em Botucatu. O primeiro teve seis mil assinaturas e foi encaminhado à Central Única dos Trabalhadores (CUT), que coletou assinaturas do país inteiro para tentar dobrar a medida do Governo.

Quem ainda não participou deste abaixo-assinado pode participar no próximo sábado, quando as assinaturas ainda serão coletadas. O diretor do Sindicato da Construção Civil destaca que a participação da população é imprescindível a favor da luta pelos direitos dos trabalhadores. “Se nós pensarmos a nível nacional, o que é Botucatu para o Brasil? Mesmo assim, nós não podemos ficar parados e vendo o país do jeito que está. Temos que fazer alguma coisa. Neste sábado queremos mostrar para os políticos de Botucatu que não estamos satisfeitos e em outras oportunidades mostrar isso para todo país”, afirmou José Luiz.

“O elefante é tão grande e tem medo de um rato. Nós temos que pensar que somos um rato de frente ao Governo que é o elefante. Temos que enfrentar e mostrar nossa insatisfação”, completou.

Na manifestação de sábado devem participar representantes dos sindicatos dos Metalúrgicos, dos Médicos, dos Funcionários Públicos Municipais, dos Comerciários, Trabalhadores Rurais, além da Construção Civil e Movimento Social de Luta (MSL).

 

Manifestação nacional acontece no final do mês

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) está programando para o dia 28 de abril uma manifestação nacional contra a reforma da Previdência e outras questões sociais. Em Botucatu também devem acontecer ações que são articuladas pelas forças sindicais da cidade.

“Nesta quarta-feira (5) eu participei de uma reunião com representantes da CUT em São Paulo justamente para falar sobre esta manifestação. Ainda vou conversar com representantes de todos os sindicatos de Botucatu para podermos organizar uma manifestação, mas ainda não posso informar como será”, explicou José Luiz, do Sindicato da Construção Civil.

Veja também: