Choveu apenas 8 dias em fevereiro

Com a escassez de chuva, média ficou 65% abaixo do normal para o período. Apesar da "seca", mananciais conseguiram manter o nível e não deve faltar água na cidade

Fevereiro teve o índice de chuva abaixo do esperado para o mês, de acordo com dados registrados pela Estação Meteorológica da Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp de Botucatu. Choveu apenas oito dias em todo o mês e a média, que deveria ficar próxima aos 200 milímetros, ficou em 130 – 35% de queda.

Veja a tabela de chuva:

Cinthia Souza | Diário Botucatu

Segundo o meteorologista Thiago Ferreira, do Centro de Pesquisas Meteorológicas da Unesp de Bauru, fevereiro não teve nenhum fenômeno em específico que influenciasse na escassez de chuva. “Em janeiro os sistemas meteorológicos foram organizados e por isso tivemos chuva ao longo de todo o mês. Já em fevereiro, esses sistemas não conseguiram se organizar e por isso faltou chuva”, explica.

Apesar de ter chovido menos do que média histórica, o meteorologista explica que a quantidade de chuvas deste ano foi maior do que nos anos anteriores. “Se olharmos dados da nossa estação, que fica em Bauru, este ano tivemos 138 milímetros de chuva. Em fevereiro de 2016, 2015 e 2014, o volume ficou em torno de 130 milímetros. E em anos anteriores, como em 2012 e 2010, a média chegou a 81 e 42 milímetros. Ou seja, o volume foi melhor” salienta.

 

Sidney Trovão
Regime de chuva não foi regular me fevereiro

“São as águas de março fechando o verão”

Já diz a música que março é o mês que fecha o período chuvoso e, segundo o meteorologista Thiago Ferreira, é isso que devemos esperar deste mês. “As imagens do satélite nos mostram que nos próximos dias teremos chuvas. Os sistemas meteorológicos estão agindo corretamente nos primeiros dias de março e está tudo dentro do esperado” afirma.

Nesta quinta-feira (02) já começou a chover com intensidade na cidade. A aproximação de uma frente fria vem trazendo umidade do sul e deve atingir a região sudeste até sábado, quando o volume de chuva deve ser maior.

A chuva deve se manter até o início da semana, quando a frente fria perde força e o tempo estabiliza.

Ainda sobre o mês de março, haverá a transição de estação. No dia 20 começa o outono, estação em que o regime de chuvas é menor e as temperaturas ficam mais baixas. “Ainda não se sabe se teremos fenômenos como El Niño ou La Niña, mas o que tudo indica, teremos uma estação dentro das características normais, com menos chuvas e temperatura mais baixa”, completa o meteorologista.

 

Com pouca chuva, pode faltar água?

O regime de chuva está diretamente ligado ao sistema de abastecimento de água das cidades. Se chove menos, os rios ficam com menos volume e pode haver racionamento de água para a população.

Por isso, o Diário procurou a Sabesp, companhia responsável pelo abastecimento na cidade, para saber se os rios tiveram algum impacto com a falta de chuva. Segundo a assessoria de imprensa da companhia, os rios não tiveram redução do volume e por isso o abastecimento não será afetado.

“A Sabesp informa que os mananciais que abastecem Botucatu apresentam vazão superior a média dos últimos dois anos (2015 e 2016) mesmo com o baixo índice de chuvas do último mês. A companhia monitora 24 horas por dia os níveis e vazões das captações e, no momento, todos os sistemas produtores operam normalmente”, explicou a Sabesp por meio de nota.

Mesmo sem faltar água, é importante economizar, por isso algumas dicas:

  • Tome banhos curtos e feche o chuveiro ao passar sabonete;
  • Não lave a calçada ou o carro com mangueira;
  • Antes de lavar a louça, retire o excesso de comida com a esponja, sem usar água; deixe a torneira fechada ao ensaboar;
  • Acumule as roupas para utilizar a máquina de lavar na capacidade máxima. Faça o mesmo com a louça;
  • Deixe a torneira fechada enquanto escova os dentes ou faz a barba.

Veja também: