Acerte seu relógio: termina neste sábado (18) o Horário de Verão

Foram 126 dias com o sol se pondo mais tarde para economizar energia. Segundo CPFL, com a economia, daria para abastecer a cidade de Botucatu por 62 dias

Com economia do Horário de Verão, daria para manter a iluminação da cidade por 62 diasMobi Drone - imagens aéras
Com economia do Horário de Verão, daria para manter a iluminação da cidade por 62 dias

A partir da 0 hora deste sábado (18), retorna o horário brasileiro comum e termina o Horário de Verão e é preciso voltar o relógio em uma hora. Foram 126 dias vendo o pôr do sol mais tarde e acordando com manhãs mais escuras. Tudo isso, como forma de economizar energia. E segundo a CPFL Paulista, companhia de abastecimento elétrico de nossa região, com o que conseguimos economizar neste período, daria para abastecer a cidade de Botucatu inteira por 62 dias.

O Horário de Verão surgiu pela primeira vez no Brasil em 1931, mas foi só a partir de 1985 que ele passou a ser adotado todos os anos e já estamos vivendo essa mudança de horário há 28 anos.

Quando foi criado, o Horário de Verão seguia um só padrão para todo o país. Todos os estados alteravam seus relógios e a quantidade de dias era estipulada a cada ano, podendo ser mais longo ou mais curto. Mas em 2008 o Horário de Verão ganhou critérios padrões através de um decreto de lei assinado pelo presidente Lula. Desde então, o Horário de Verão sempre começa no terceiro domingo de outubro e termina no terceiro de fevereiro, e também nem todos os estados tem a alteração de horário. Apenas as regiões sul, sudeste e centro-oeste é que alteram os relógios.

A justificativa para adotar o Horário de Verão é que aproveitando melhor a luminosidade do sol no final do dia, as famílias conseguem economizar, principalmente no chamado horário de pico, que é das 18 às 21 horas.

Para quem gosta, o Horário de Verão volta em 21 de outubro.

 

Brasil não é o único

Atualmente, vários países fazem mudança no horário convencional para aproveitar a luminosidade do verão. Entre eles estão os países membros da União Europeia, a maioria dos países que formavam a antiga União Soviética, a maioria do Oriente Médio (Irã, Iraque, Síria, Líbano, Israel, Palestina), parte da Oceania (Austrália, em parte do seu território, e Nova Zelândia), a América do Norte (Canadá, Estados Unidos e México), alguns da América Central (Cuba, Honduras, Guatemala, Haiti e Bahamas) e da América do Sul (Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Chile).