Chegou o Ano Novo. E agora, como organizar as finanças?

Quem guardou o 13° vai ter um respiro para pagar as contas, mas para quem gastou, é hora de se planejar

Claudineia gastou, mas também poupou para pagar as contasSidney Trovão
Claudineia gastou, mas também poupou para pagar as contas

Dezembro teve 13° salário, que por alguns foi usado para comprar presentes e fazer a ceia, mas por outros ou foi guardado para pagar as contas em atraso ou as que ainda estão por vir. Claudineia Alves, auxiliar de cozinha, entrevistada pelo Diário, fez uma divisão considerada justa por ela. “Uma pequena parte comprei presentes, e o restante vou pagar as contas, assim não passo sufoco”, afirma.

Segundo o economista Alexandre Pires de Campos, o que a Claudineia fez foi correto. “O ideal é que as pessoas deixem uma reserva para outras obrigações. Tomar muito cuidado com a história de que “eu trabalhei e por isso eu mereço um bom presente!”. Pode ser que ao invés de um presente o consumidor esteja comprando uma bela dor de cabeça”, salienta.

Ainda de acordo com o economista, o 13° sempre deve ser visto como um complemento de renda. “Via de regra, o 13º salário deve ser usado, se possível, de forma contida, uma vez que é comum as pessoas terem gastos extras com presentes e festas de final de ano. Quem está endividado deve ficar atento, pois pagar uma dívida pode ser um ótimo presente de Natal. Pra quem não tem dívidas, seria um complemento para arcar com despesas extras”, destaca.

beneditoSidney Trovão
Sem emprego, Benedito faz bicos para pagar as contas

Mas para quem não pensou muito e gastou tudo no final de ano, agora é hora de se planejar. “Para as pessoas organizadas, o ideal seria pagar tudo à vista com desconto e ficar livre dessas despesas. Mas para quem não conseguir, o parcelamento será inevitável”, afirma Alexandre.

Benedito Marino vai ter que parcelar as contas do início do ano, e torcer para que 2017 seja melhor. “Estou desempregado e não tenho como guardar dinheiro. Ultimamente só tenho feito ‘bicos’, então, conforme o dinheiro entrar, eu pago as contas”, conta.

Viagem de férias sem estourar o orçamento

Janeiro é o período das férias escolares e muitas famílias aproveitam os primeiros dias do ano para colocar o pé na estrada e tirar uns dias de folga. O problema é que se essa viagem não for planejada, pode descontrolar o orçamento do ano todo. Por isso, o economista dá a dica:

“Se for viajar, sempre fazer cotações através de agências e sites especializados pois os preços variam muito. Lembrar também que viagens de carro ainda exigem especial atenção aos gastos com manutenção do veículo. Muita gente não se preocupa com esse item e fica na estrada por falta de manutenção. Daí a conta pode ficar bem cara e o orçamento acaba prejudicado”, orienta.

E para quem tem dúvidas se as contas vão bater e orçamento não vai estourar, a dica é ainda mais simples: anotar despesas e organizar todas as contas para não começar o ano no vermelho.