Conheça a história de Hadan, estudante de moda que se destaca na criação de fantasias

Rebeca Selpis
 Por Lana Salvador

Negro, homossexual, de origem humilde, filho único de pais separados, Hadan chama atenção por onde passa e conta já ter sofrido bullying no passado através de comentários maldosos principalmente pelo seu estilo, mas nada que o abalasse e tirasse seu foco. No mundo da moda, seu estilo exótico e sua sensibilidade acabam sendo um diferencial. Apaixonado por Moda e Arquitetura, esforçado e trabalhador, não é difícil se impressionar com esse jovem que, com apenas 22 anos, tem talento de um artista renomado. Dentro de casa, Hadan também não deixa a desejar: é criador, decorador e responsável pela estrutura, organização e produção das festas e fantasias de todas as confraternizações da família.
Hadan de França Prazeres nasceu em Botucatu e passou a infância no distrito de César Neto, onde se recorda de sempre brincar com as primas mulheres criando casinhas e roupas para as bonecas. Na pré-escola, desenvolveu a habilidade de desenhar. Já no ensino fundamental, apesar de continuar morando no distrito, veio estudar na cidade. Há cinco anos, com a separação dos pais, mudou-se para Botucatu com a mãe. De brincadeira de infância, foi no Ensino Médio que Hadan percebeu a Moda como sua futura profissão, através de uma atividade da escola realizada para arrecadar fundos para a formatura que tinha como tema “profissões”. Nela, Hadan optou por ir de estilista acompanhado de duas amigas que encarnaram as modelos das suas criações, recebendo muitos elogios dos colegas e dos professores.
Após terminar o Ensino Médio, Hadan fez cursos ligados à área da moda e do desenho artístico. Começou com um curso técnico de Administração, onde ganhou noção de negócios e empreendedorismo ao projetar uma empresa fictícia e sustentável de casamentos, criando um vestido de noiva de jornal. Por isso, foi chamado para participar da Feira de Noivas de Botucatu durante três anos seguidos, utilizando em todas edições materiais sustentáveis em suas criações. Depois disso, fez o curso de corte e costure sob medida e modelista, onde aprendeu a costurar e confeccionar seus projetos: “Antes do curso, as criações eram minhas, mas sempre tinha alguém que fazia. Agora eu faço todo o processo. Como na área da moda existem bastante funções, eu acho que hoje em dia um estilista tem que saber de tudo um pouco. Por mais que ele só desenhe, é necessária uma noção de todo o processo da arte de moda”. Hadan também trabalha há três anos em uma loja de fantasias e acessórios de festas em geral e, recentemente, comprou seu próprio apartamento com o esforço do seu trabalho, onde mora com a mãe. Atualmente, Hadan também cursa o primeiro ano da faculdade de ensino à distância de Design de Moda. “Moda foi uma opção a minha vida toda, de conviver e brincar com isso. Então hoje eu estou levando bem a sério toda essa brincadeira”.
Na loja, Hadan trabalha como atendente, mas mesmo assim acaba tendo bastante contato com a moda dando opiniões e orientando os clientes através da sua sensibilidade artística: “Os homens acabam tendo mais vergonha de pedir sugestões, mas as mulheres são mais soltas e interagem mesmo”. O jovem também conta que, apesar das fantasias já chegarem prontas na loja, ele contribui com sugestões para novos modelos e também cria acessórios diferenciados para as fantasias já existentes.
Como estudante de Design de Moda, Hadan explica: “Hoje eles dão esse nome, Design de Moda, porque é um curso que envolve muitas coisas. É todo um processo”. Apesar de já ter produzido muitas peças de roupa e muitos projetos de criação em geral, inclusive decoração de interiores, Hadan destaca-se pela produção de fantasias. “Já criei mais de 30 modelos só para mim”. Sobre a preferida, ele não pensa duas vezes: “A melhor de todas é uma junção da Chapeuzinho Vermelho e do Lobo Mau numa pessoa só, que foi feita para eu participar de um concurso de fantasias”. Com essa criação, o estudante quis mostrar que era possível juntar dois personagens em uma só pessoa. “Tudo naquela fantasia é produção minha, desde maquiagem, cabelo, aplicação, pelagem na parte do lobo, enfim”. Apesar de não ter conseguido nenhuma colocação entre os premiados, Hadan está empolgado para a edição desse ano e promete surpreender novamente com a fantasia, que ainda mantém em segredo.
Questionado sobre o seu diferencial, Hadan acha que persistência é a sua marca registrada: “Eu sou uma pessoa que falo, falo, falo muito. Aí as pessoas acabam não acreditando muito naquilo que eu quero fazer. Aí quando eu finalizo o projeto, as pessoas acabam vendo realmente quem sou eu. Então esse sou eu: piso bastante no mesmo lugar até conseguir e sair o que eu quero”.
Sobre o seu processo criativo, o jovem diz que na infância e na adolescência suas inspirações eram as bonecas, desenhos animados e a música. Atualmente, ele usa muito a internet pesquisando estilistas famosos e novidades sobre o mundo da moda: “Dali eu acabo tirando muitas ideias”. Lady Gaga é sua principal referência desde 2008, seja pelas roupas excêntricas da artista, seja pela inspiração que a música dela lhe traz. Marcas como Prada, Chanel e Louis Vuitton também são referências importantes para Hadan. “Minha inspiração até hoje é sempre procurar alguém importante com uma carreira de sucesso e viver atualizado, não só na área da moda, mas em tudo que acontece”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Veja também: