Vaccarezza, o líder de lula e dilma

Sérgio Moro manda prender de novo o deputado federal que teve 2.138 votos em Botucatu

Redação Diário | Diário Botucatu
Dobradinha Oficial de Lelo Pagani na campanha de 2010: o deputado federal e o deputado estadual apoiados pelo PT

O deputado federal Candido Vaccarezza (hoje filiado ao nanico PTdoB), que fez dobradinha com o ex-vereador Lelo Pagani (hoje na REDE) nas eleições de 2010 (quando o ex-vereador botucatuense foi candidato a deputado estadual pelo PT), foi preso temporariamente na última sexta-feira (19).

Redação Diário | Diário Botucatu
O deputado federal Cândido Vaccarezza sendo recebido pela militância durante palestra no auditório da Unifac

A ordem de prisão temporária foi do juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal de Curitiba. O deputado foi o líder dos governos Lula e Dilma na Câmara Federal, sendo considerado um dos personagens mais influentes da máquina governamental petista e um dos interlocutores mais assíduos das principais lideranças do partido.

Vaccarezza é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de ter recebido US$ 500 mil (Cerca de R$ 1,6 milhão) em propina de uma empresa fornecedora da Petrobrás, a Seargent Marine, uma fornecedora de asfalto com sede nos Estados Unidos, que entre 2010 e 2013 assinou 12 contratos com a estatal brasileira no valor total de US$ 180 milhões.

Redação Diário | Diário Botucatu
Com Lelo Pagani (ao microne), o ex-presidente do PT Carlos Ramos, Pinho e Ielo, durante evento do Diretório Municipal

Em Botucatu, no segundo mandato de Mário Ielo (ex-PT, hoje no PDT) como prefeito (2005-2008) Vaccarezza se tornou um dos deputados mais próximos do Diretório Municipal do PT. Isso aconteceu depois que José Dirceu, José Genoíno e Antonio Pallocci se encrencaram nas investigação do mensalão.

Em Brasília, sua força política também cresceu depois do afastamento de José Dirceu do Palácio do Planalto, quando se tornou o principal articulador político do PT nos bastidores do Congresso Nacional, nas negociações de interesse do governo federal.

Nas eleições de 2010, Vaccarezza obteve em Botucatu um total de 2.138 votos. Ele foi o candidato prioritário da cúpula do diretório municipal do partido e a dobradinha oficial de Lelo Pagani como candidato a deputado estadual. Em 2014, sem dobradinha local nas eleições, Vaccarezza teve apenas 94 votos na cidade.

Nas eleições de 2012 o deputado voltou a Botucatu para apoiar a candidatura de Antônio Mário Ielo (que ainda estava no PT) para prefeito, tendo o ex-vereador Júnior Colenci (PMDB), como candidato a vice, eleição que acabou sendo vencida por João Cury Neto (PSDB), que na época era candidato à reeleição.

Redação Diário | Diário Botucatu
Com o ex-prefeito Mário Ielo: uma parceria e linha direta com os programas do governo federal durante os governos Lula e Dilma

Ele também participou de vários eventos na cidade, incluindo palestras em faculdades e reuniões de mobilização promovidas pelo partido. Até seu aniversário foi comemorado durante uma de suas passagens por Botucatu, onde veio de avião particular, que ficou estacionado no Aeroporto Tancredo Neves.

Em 2014, Vaccarezza não conseguiu se reeleger para mais um mandato como deputado federal. Em 2015 seu nome começou a surgir com força nas delações da Lava Jato. Em 2016 Vaccareza se desfiliou do PT – onde chegou a ser secretário geral da executiva nacional – e hoje está filiado ao PTdoB: um partido nanico, sem expressão no Congresso Nacional.

Nas eleições municipais da capital, apoiou em 2016 a candidatura de Celso Russomano (PRB), que foi derrotado por João Dória. Hoje, trocou de lado e articula a formação de um novo partido que pode fazer parte do bloco de sustentação do governo Michel Temer, apesar de estar enroscado com o ministério público e a Polícia Federal por suas atividades no tempo em que ainda pertencia ao Partido dos Trabalhadores

No mesmo ano (2016), Mário Ielo se desfiliou do PT e foi para o PDT. Lelo Pagani também saiu do PT e foi para a REDE, partido pelo qual se candidatou a vice-prefeito na chapa encabeçada por Reinaldinho (PR), que era apoiado por Milton Monti (PR), que também foi a outra dobradinha de campanha de Lelo Pagani em 2010, outro que também está sendo investigado pela Operação Lava Jato por ter recebido R$ 300 mil em dinheiro do setor de propinas da Construtora Odebrecht.

A FRASE DA CAMPANHA DE 2012
E A MORAL DA HISTÓRIA DE 2017

“Temos a melhor oportunidade de eleger aqui (em Botucatu) a dobradinha que deu certo lá no governo federal: com Dilma do PT e Michel Temer do PMDB”

Do deputado federal Cândido Vaccarezza (PT), em setembro de 2012, durante um dos atos da campanha petista em Botucatu, comparando Dilma (PT) e o então vice Temer Michel (PMDB), com Mário Ielo (PT) e Júnior Colenci (PMDB), que disputavam aquela eleição municipal como candidatos a prefeito e vice, mas foram derrotados por João Cury e professor Caldas.