Os “oito” cabem dentro de uma Kombi: lambuzados pelo poder

PT – 2002-2016: UMA QUADRILHA COMO OUTRA QUALQUER...

Redação Diário | Diário Botucatu

ESSA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA DESVIOU R$ 1,5 BILHÃO EM 14 ANOS DE PODER

E deu R$ 29 bilhões de prejuízos para a Petrobrás. Custou bem caro para o Brasil.

O FILME QUE ESTRÉIA HOJE
JÁ É UMA HISTÓRIA ANTIGA

O filme da Lava Jato (Polícia Federal – A lei é para todos), que tem seu lançamento oficial nos cinemas brasileiros neste 7 de setembro, termina bem antes.

Sua continuidade deve mostrar a denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República contra oito pessoas que, na opinião do ministério público, representam a diretoria da organização criminosa que desviou R$ 1,5 bilhão da Petrobrás e causou prejuízo de R$ 29 bilhões para a maior empresa brasileira.

O nome do líder da quadrilha é Luiz Inácio Lula da Silva, pernambucano, ex-líder metalúrgico no ABC paulista, ex-presidente nacional do PT e ex-presidente da República Federativa do Brasil (2002-2010).

Sua sucessora no Palácio do Planalto, uma mineira de Belo Horizonte, que fez carreira no Rio Grande do Sul, chamada Dilma Roussef, também foi denunciada, por atos praticados como ministra das Minas e Energia e como ministra-chefe da Casa Civil, quando substituiu José Dirceu (processado e preso no Mensalão do PT) no comando político do Palácio do Planalto.

Os ex-ministros da Fazenda Antonio Palocci (com base política em Ribeirão Preto, no interior de SP) e Guido Mantega, a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) e seu marido, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo também foram denunciados, assim como dois ex-tesoureiros do Diretório Nacional do PT: Edinho Silva (ex-prefeito de Araraquara-SP) e João Vaccari Neto.

A denúncia da PFR também afirma que o mesmo esquema permitiu ao Partido Popular (PP), partido fundado pelo ex-governador paulista Paulo Salim Maluf, recebesse R$ 390 milhões em propina. O presidente Nacional do PP atualmente é o senador Ciro Nogueira (Piauí). O PMDB do Senado ficou com R$ 864 milhões dos recursos desviados e o PMDB da Câmara dos Deputados embolsou outros R$ 350 milhões. Michel Temer era o presidente nacional do PMDB nesse período. Em 2016, virou presidente da República.

Valor total em propina na Petrobrás, contabilizado até o momento: R$ 3,1 bilhão.

Veja também: