Milton Monti diz que é “pai do viaduto”

Redação Diário | Diário Botucatu
O deputado federal Milton Monti (PR-SP) e seu amigo Maurício Quintella (PR-AL), deputado federal licenciado e atual ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil do Governo Temer, durante a visita a Botucatu para apertar o play na obra que custa 40% a mais do que em 2014

Milton Monti ocupava em 2016 uma posição chave, com muito poder dentro dos bastidores do Congresso Nacional. Foi um dos relatores do Orçamento da União. Toda a montagem do que deveria ser gasto no setor de transportes estava sob sua responsabilidade.

Ele era o relator da comissão que definiu o orçamento para tudo o que envolvia a destinação de recursos públicos para a construção e manutenção de estradas, portos, hidrovias, pontes e viadutos espalhados pelo país.

Milton Monti garante que monitorou pessoalmente cada etapa da conquista do novo viaduto de Botucatu, que teve suas obras iniciadas neste mês de agosto. O problema é que dinheiro público pode estar sendo usado de uma forma pouco criteriosa.

O valor da obra, que foi orçada em R$ 12 milhões em 2014, cresceu 40% antes que a primeira máquina chegasse ao canteiro de obras. O novo valor, anunciado pelo próprio deputado Milton Monti, agora é de R$ 17 milhões.

A justificativa, ainda segundo o deputado, para a definição do novo preço (atualizado) é que essa diferença seria a inflação do período. O dinheiro já rendeu 40% de bônus nominal antes de qualquer centavo ser efetivamente aplicado na construção da obra.

Milton Monti afirmou na semana passada que a primeira pessoa que o procurou na vida com a ideia de que Botucatu precisava de recursos federais para a construção do viaduto foi o ex-prefeito Mário Ielo, no tempo em que Lula ainda era o presidente da República.

De 2001 a 2008, o PT e seus aliados estavam no comando da prefeitura de Botucatu, que era a cidade mais importante governada pelo partido de Lula no centro-oeste paulista. O PR, partido de Milton Monti, já ocupava espaços importantes dentro do Ministério dos Transportes.