Começa então pelo cofrinho do Michelzinho…

Redação Diário | Diário Botucatu
Redação Diário | Diário Botucatu

Bem que podia começar pelas economias do Michelzinho, o presidente mirim do Brasil e talvez a criança que possui a babá mais cara da América Latina. O garoto deve ter um cofrinho grande. A nova campanha do governo é direcionada para as outras famílias do Brasil: aquelas que não participam do “reparte” que acontece na política cada vez que um amigo paga um favor.

QUEM VAI TIRAR ESSA PROPAGANDA DO AR?!

É o novo convite do Governo Temer. Se essa coisa saiu da cabeça do marqueteiro presidencial, é mais um tiro na culatra dos conselheiros pessoais do chefe da nação. Depois de 3 anos de crise brava, o governo descobriu que ainda tem o direito de dizer para as famílias brasileiras que “ainda está faltando o cofrinho”.

 

Tem R$ 1, 4 bilhão perdidos em moedinhas dentro dos lares brasileiros. Como não tem esperança de consertar a economia estraçalhada pela política – e com o fraco argumento de que quer economizar o gasto para cunhar novas moedas, que serviriam para cobrir a ausência das que ainda restam nos cofrinhos e estão fazendo falta no mercado – surge essa apelativa campanha publicitária.

Redação Diário | Diário Botucatu

Ao inaugurar a campanha, na hora das fotografias com jogo de cena oficial, Temer só tinha R$ 3,90 em moedas no bolso para colocar na maquininha que simboliza o novo produto de marketing governamental.

A gente sabe que tem muito mais no cofrinho do Michelzinho. Pega lá, Temer. Dá o exemplo pelo menos uma vez. Faz a sua parte direito. E não esquece o boné.

 

Tenha um bom dia.

Independente se você vai ou não colaborar.

Veja também: