Bolsonaro já escolheu o adversário: são os “comunistas”

Seja lá o que essa expressão queira dizer exatamente no mundo de hoje.

Pedro Manhães

Análise Política e Sociedade

O nós contra eles já aponta qual é o oponente que o líder nas pesquisas presidenciais pretende ter, se for para o segundo turno. Lula ou qualquer um dos que já foi aliado do partido do ex-presidente: E batiza como “comunistas”, contrários aos valores cristãos, de Marina, Ciro, Manuela Dávila até Guilherme Boulos.

Jair Bolsonaro parece acreditar que a maioria, entre os eleitores de Centro, vai pender para a Direita na hora de escolher entre um eventual ex-aliado de Lula e alguém se diz a favor da “moral e dos bons costumes” e que se mostra independente da Lava Jato, como se considera o capitão-deputado.

Do outro lado, o principal líder do bloco de esquerda que Bolsonaro prefere como adversário, passou o final de semana entre o manda soltar e o mantém preso, em uma daquelas lambanças que só um poder judiciário partidarizado e aparelhado é capaz de protagonizar.

Lula preso ou Lula livre é uma confusão cada vez mais presente na cabeça dos brasileiros comuns. Apesar da “derrota” jurídica pró-liberdade, a tropa de choque petista mostra que não vai jogar o guardanapo no chão e desistir da candidatura presidencial do ex, enquanto houver no horizonte um feixe de luz.

Enquanto isso, no chamado centro político, onde normalmente se reúne a maior parte do eleitorado, se embolam cinco ou seis candidaturas em busca de um, apenas um lugar ao sol. Chegar ao segundo turno é o grande desafio dos que se meteram no meio dessa briga entre dois mitos, com uma multidão de fãs apaixonados.

A chance do centro, por onde hoje transitam nomes como Alvaro Dias, Henrique Meirelles, Geraldo Alckmin e até mesmo Marina Silva, está en desconstruir os dois extremos. O problema é que bater de frente com os fãs seguidores de Lula e de Bolsonaro, tem se mostrado uma experiência absolutamente inútil.